InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Rice defende combate ao 'terrorismo' na América do Sul

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Rice defende combate ao 'terrorismo' na América do Sul   Qui Mar 13, 2008 4:00 pm

Rice defende combate ao 'terrorismo' na América do Sul








Denize Bacoccina
Da BBC Brasil em Brasília





Em visita a Brasília, Rice elogiou papel do Brasil em crise nos Andes

A
secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, disse que os países
da região devem se preocupar em combater o terrorismo "seja dentro das
suas fronteiras ou além de suas fronteiras" e disse que os Estados têm
obrigações perante a ONU.



“Cada
país tem a obrigação de fazer o que pode para evitar que os terroristas
usem o seu território. Todo Estado responsável deve agir para isso”,
afirmou Rice em entrevista no Itamaraty ao lado do ministro das
Relações Exteriores, Celso Amorim.

Embora a pergunta mencionasse o papel do presidente venezuelano Hugo Chávez na região, ele não foi citado nas respostas.


A secretária reafirmou a posição americana, que classifica as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) como organização
terrorista.


Rice disse que “não há questão sobre atividades (das Farc) no Brasil” e elogiou a atuação do governo colombiano, aliado dos
americanos no combate ao tráfico de drogas.


A
crise que tomou conta da América do Sul na semana passada - com o
ataque colombiano a um acampamento das Farc no Equador e o posterior
rompimento de relações diplomáticas da Venezuela e do Equador com a
Colômbia - foi o principal assunto da entrevista coletiva após o
encontro entre Rice e Amorim no Itamaraty.

Em visita a Brasília, Rice elogiou o papel do Brasil na crise e disse que os Estados Unidos estavam “muito preocupados” com
a região.


“Estamos acompanhando a situação e vamos atuar de acordo”, afirmou.

Amorim
lembrou que Brasil e Estados Unidos atuaram em conjunto para a
aprovação da resolução da Organização dos Estados Americanos (OEA)
condenando a invasão colombiana no Equador, que na avaliação do
ministro preparou o caminho para a resolução da crise.

Rice disse que os Estados Unidos têm “uma agenda positiva para a América Latina” e trabalham tanto com governos de esquerda,
citando Lula e Michele Bachelet, do Chile, quanto com governos de direita, sem citar nomes.


"Os Estados Unidos não têm inimigos permanentes", afirmou.

Conselho de segurança regional

A secretária disse que os Estados Unidos estão dispostos a apoiar uma estratégia regional de segurança para as Américas e
não vê problema no conselho de segurança sul-americano proposto pelo governo brasileiro.


Rice
lembrou que já existe uma cooperação hemisférica no âmbito da OEA, mas
lembrou que os Estados Unidos também têm uma cooperação subregional na
América do Norte.

“A cooperação é natural”, afirmou. “Confiamos na liderança brasileira”, disse ela, sobre uma cooperação entre o sul e o norte
do hemisfério.


A
secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, defendeu a atuação do
Brasil no Haiti como “modelo” para o papel internacional do país.

Rice disse que o presidente americano, George W. Bush, apoia a reforma do Conselho de Segurança da ONU, mas evitou defender
abertamente o direito do Brasil a uma vaga permanente no órgão.


“Não poderíamos ter feito o que fizemos no Haiti sem o Brasil, não apenas com a liderança das forças da ONU, mas também o
engajamento diplomático”, afirmou a secretária americana.


Rice
disse que a posição americana a favor da reforma do Conselho é
conhecida, porque “o mundo mudou desde 1945”. No entanto, embora tenha
sido questionada diretamente, a secretária evitou comentar o direito do
Brasil a uma vaga permanente no conselho, como reivindicado pelo
governo brasileiro.

Rice afirmou ainda que os Estados Unidos estão em consultas com outros membros permanentes do órgão, e que o presidente Bush
“é muito aberto a uma reforma do Conselho de Segurança”.


“O
Brasil, como uma grande democracia multiétnica, deveria ter um papel
importante não apenas em assuntos regionais, mas em assuntos globais”,
afirmou, elogiando a atuação do Brasil nas conversações sobre a paz no
Oriente Médio, inclusive na conferência de Annapolis, promovida pelo
governo americano.
Depois de Brasília, a secretária seguiu para Salvador
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Rice defende combate ao 'terrorismo' na América do Sul
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Questão Teórica de Eletrostática
» Pressão atmosférica
» Superfície esférica
» Equação superfície esférica
» Cunha esférica

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Europa e o Mundo-
Ir para: