InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Centenas de pessoas manifestam-se na capital tibetana contra   Sex Mar 14, 2008 6:52 am

Centenas de pessoas manifestam-se na capital tibetana contra o domínio chinês

14.03.2008 - 10h19 Agências


Centenas
de pessoas juntaram-se hoje na capital tibetana em novas manifestações
lideradas por monges budistas contra a administração chinesa no Tibete,
queimando carros da polícia, com a tensão a aumentar na região,
informou a Radio Free Ásia. De acordo com a agência Nova China, há
notícia de feridos em resultado destas manifestações.

De acordo
com declarações de uma testemunha à mesma rádio, os manifestantes são
já às centenas, incluindo monges e civis, e foram incendiados carros da
polícia e do exército no centro de Lhasa.

Estas são as mais
recentes manifestações no Tibete, as maiores desde 1989, contra a
administração chinesa da região, numa espiral de tensão que vem
aumentando desde segunda-feira e que já levou dois monges a tentar o
suicídio e as autoridades chinesas a cercar e encerrar mosteiros.

O
Departamento da Região Autónoma do Tibete em Pequim disse hoje à Lusa
que os pedidos de autorização para entrada no Tibete estão suspensos.

"Não
é possível pedir licenças de entrada", disse um funcionário do
departamento, que não se identificou nem soube dizer quando será
possível voltar a pedir autorizações de viagem para o Tibete, onde o
governo chinês só permite a entrada de estrangeiros com um vistos de
viagem especiais, que são quase sempre recusados aos jornalistas.

A
Radio Free Asia informou ainda que os monges budistas do mosteiro de
Sera iniciaram ontem uma greve de fome dentro do próprio mosteiro e
recusam comer ou dormir até que as autoridades libertem os monges
alegadamente presos ao longo das manifestações desta semana.

"Há
uma atmosfera crescente de medo e tensão em Lhasa no momento", disse à
imprensa estrangeira Kate Saunders, porta-voz da organização Campanha
Internacional pelo Tibete (CIT), sedeada em Londres.

"Muitos outros monges estão também a ferir-se a si próprios em desespero,"disse uma fonte anónima à Rádio Free Asia.

De
acordo com a CIT, as manifestações estenderam-se já aos mosteiros de
Reting e de Ganden, para além de Sera, os mais importantes mosteiros da
região, chamados "três pilares do Tibete".

Milhares de militares
e de elementos da polícia paramilitar cercaram os três mosteiros,
segundo a CIT. Uma agência de viagens de Pequim confirmou hoje à Lusa
ter informações que "os três mosteiros estão fechados a visitas de
grupos turísticos".

As manifestações voltam a pôr em causa a
forma como a China administra o Tibete, poucos meses antes dos Jogos
Olímpicos de Pequim 2008, que decorrem entre 8 e 24 de Agosto.

Os
protestos começaram na segunda-feira, o aniversário da entrada das
tropas chinesas no Tibete em 1959, para esmagar uma revolta falhada
contra a presença da China na região e na sequência a qual o Dalai
Lama, líder religioso tibetano, partiu para o exílio na Índia.

A
China insiste que o Dalai Lama não é um líder religioso mas sim um
líder político separatista que busca a independência do Tibete.

O
Dalai Lama, Prémio Nobel da Paz em 1989 pela sua dedicação não-violenta
pela causa tibetana, diz ter abandonado as exigências iniciais de
independência para o Tibete, defendendo uma "autonomia real e
significativa" que preserve a cultura, a língua e o meio ambiente
tibetanos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Sex Mar 14, 2008 6:53 am

li o l,ivro 7 anos no Tibete
ADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOREI

e gosto do Delai Lama
Um gajo com muita pinta
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Holanda: Manifestantes pró-Tibete invadem embaixada da China   Dom Mar 16, 2008 3:37 pm

Holanda: Manifestantes pró-Tibete invadem embaixada da China



A
embaixada chinesa em Haia, na Holanda, foi atacada por um grupo de 100
manifestantes, que protestavam contra a presença da China no Tibete,
tendo duas pessoas conseguido invadir o edifício.

As autoridades detiveram os intrusos, levando-os para interrogatório,
após mais de meio milhar de pessoas se ter concentrada na capital
holandesa, com o objectivo de se unirem aos protestos de todo o mundo
pelas vítimas em Lhasa, no Tibete.
Durante o aniversário da fracassada rebelião tibetana contra o
mandato chinês em 1959, que causou o exílio do Dalai Lama, o exército
da China está em confrontos com a população e os monges tibetanos,
tendo provocado a morte de uma centena de pessoas, segundo dados não
oficiais.
Contudo, fontes oficiais chinesas, indicam apenas 10 vítimas
fatais da onda de violência que assola o território desde
segunda-feira.






16-03-2008 15:07:48
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Dom Mar 16, 2008 10:12 pm

pelo menos alguem tem colhoe_s!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 2:53 am

RONALDO ALMEIDA escreveu:
pelo menos alguem tem colhoe_s!!

A China esta fragilizada com esta historia
O Tibete tem nada de nada e nem sei para que quer a china aquilo
O Mundo tem profunda simpatia pelo Delai Lama ...digamos que é uma das figuras mais simpáticas que se passeiam pelo mundo
A China tem um comercio florescente pelo mundo e agora do mundo tem que o respeitar
Nem é o mesmo que Israel que apoiado pelos EUA pode fazer tudo o que lhe apetece sem que dai lhe venha grande mal ...porque ...e porque
Ora o mesmo ja não podemos dizer da China
É uma oportunidade única para os Tibetanos falarem e eles vão mesmo falar
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 7:50 am

SOCRATES, foi um COBARDE ao nao receber o DALAI LAMA!!! vergonhoso!!! LASTIMAVEL!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 2:06 pm

RONALDO ALMEIDA escreveu:
SOCRATES, foi um COBARDE ao nao receber o DALAI LAMA!!! vergonhoso!!! LASTIMAVEL!!

Talvez concorde consigo !
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 5:17 pm

OS USA sao o MAIOR PARCEIRO COMERCIAL DA CHINA e BUSH recebeu o DALAI LAMA!!!! O SOCRATES, foi um cobarde!!! Nao digno de um PORTUGUES!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Ban Ki-moon pede à China tolerância com o Tibete   Seg Mar 17, 2008 6:05 pm

Ban Ki-moon pede à China tolerância com o Tibete










Segunda-feira foi mais calma em Lhasa, após dias de protestos

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta segunda-feira estar preocupado com a violência no Tibete e pediu que a
China seja tolerante com manifestantes que nos últimos dias tem realizado protestos no território.



"Estou cada vez mais preocupado com a tensão e os relatos de violência e perdas de vida no Tibete e em outros locais", disse.



"Neste
momento, faço um apelo às autoridades para que mostrem comedimento e
peço a todos os envolvidos que evitem mais confrontos e violência."


O secretário fez as declarações depois de um almoço informal com membros do Conselho de Segurança, durante o qual a questão
foi abordada.


A China, apoiada pela Rússia, alega que a violência no Tibete é uma questão doméstica da China e não deve ser discutida no
âmbito do conselho.



Leia também na BBC Brasil: Protestos de tibetanos contra China se espalham



Defesa chinesa

Às 13h desta segunda-feira (horário de Brasília), venceu um prazo do governo chinês para que os manifestantes se entregassem
à polícia ou ficassem sujeitos a punições.



China nega que governo tenha atirado em tibetanos



Em uma coletiva em Pequim, o porta-voz do Ministério do Exterior, Liu Jianchao, afirmou que o governo chinês vai "defender
sua soberania nacional e integridade territorial".


"Os atos violentos demonstraram a verdadeira natureza do bando do Dalai (Lama, líder espiritual do Tibete)", afirmou.

No domingo, o Dalai Lama acusou a China de praticar um "genocídio cultural" no território que anexou em 1959.


Dalai Lama denuncia 'genocídio cultural' chinês no Tibete



Em várias cidades do mundo, a segunda-feira foi marcada por protestos contra a China pela repressão aos protestos tibetanos.

Na Alemanha, segundo a agência de notícias Associated Press, 26 manifestantes foram presos durante um protesto em frente ao
consulado chinês em Munique.


A agência Reuters também informou que estudantes tibetanos fizeram uma vigília com velas em Pequim. Os manifestantes diziam
que estavam rezando pelos mortos nos protestos.


Repressão

Em Londres, manifestantes se reuniram em frente à embaixada chinesa com faixas e cartazes e chegaram a atirar paus, tomates
e ovos na fachada do prédio, de acordo com a Reuters.


Em uma coletiva, o ministro do exterior britânico, David Miliband, disse que espera que a China tenha aprendido a "lição"
dos "eventos trágicos dos últimos dias, de que um diálogo sério é a única forma de avançar".


O governo tibetano no exílio disse que pelo menos 80 manifestantes foram mortos em confrontos com tropas chinesas em Lhasa,
a capital tibetana.


Um porta-voz, Tenzin Takhla, disse que as forças chinesas retomaram o controle sobre a cidade e que estava impossível realizar
novas manifestações.


Um residente de Lhasa disse à BBC no domingo que havia uma forte presença policial nas ruas, mas que havia sinais de que a
cidade estava voltando ao normal.


"As escolas reabriram e as pessoas estão indo às aulas, mas as lojas continuam fechadas, muitas foram avariadas e queimadas",
disse.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 6:06 pm

O PROBLEMA E QUE A ONU A FALAR e um BURRO A CAGAR, HA pouca diferenca. E qualquer RESOLUCAO da ONU sera VETADA pela CHINA. Daqui se pode compreender a INUTILIDADE da ONU!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 6:08 pm

RONALDO ALMEIDA escreveu:
O PROBLEMA E QUE A ONU A FALAR e um BURRO A CAGAR, HA pouca diferenca. E qualquer RESOLUCAO da ONU sera VETADA pela CHINA. Daqui se pode compreender a INUTILIDADE da ONU!!

E quando não é um burro a cagar é o Bush a zurrar... Não há grande diferença....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 6:13 pm

Bush TEM O poder E A FORCA moral PARA ELIMINAR O TERROR!!! E BUSH esta-se cagando para as parvoices das esquerdas nacionais e internacionais!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 6:22 pm

RONALDO ALMEIDA escreveu:
Bush TEM O poder E A FORCA moral PARA ELIMINAR O TERROR!!! E BUSH esta-se cagando para as parvoices das esquerdas nacionais e internacionais!!!

Mano sirva.se á vontade
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 6:39 pm

Vitor mango escreveu:
RONALDO ALMEIDA escreveu:
Bush TEM O poder E A FORCA moral PARA ELIMINAR O TERROR!!! E BUSH esta-se cagando para as parvoices das esquerdas nacionais e internacionais!!!

Mano sirva.se á vontade


O grave é que o mundo está-se cagando para o Bush. Perdeu o respeito de todos. Se o toleram pela força, á primeira vingam-se. E as torres não caem sózinhas.....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Seg Mar 17, 2008 6:44 pm

ronhas escreveu:
Vitor mango escreveu:
RONALDO ALMEIDA escreveu:
Bush TEM O poder E A FORCA moral PARA ELIMINAR O TERROR!!! E BUSH esta-se cagando para as parvoices das esquerdas nacionais e internacionais!!!

Mano sirva.se á vontade


O grave é que o mundo está-se cagando para o Bush. Perdeu o respeito de todos. Se o toleram pela força, á primeira vingam-se. E as torres não caem sózinhas.....

Mano Ronhas
Foi Mau para o mundo termos uma América apanhada com as calças na mão com uma mentira rasca numa área do mundo vital
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Premiê chinês acusa Dalai Lama de incitar violência no Tibet   Ter Mar 18, 2008 2:15 am

Premiê chinês acusa Dalai Lama de incitar violência no Tibete










Wen Jiabao disse que alegação de 'genocídio cultural' é mentira

O
primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, acusou nesta terça-feira o
Dalai Lama de incitar a atual onda de violência que tomou conta do
Tibete desde o último dia 10, quando se iniciaram os protestos de
tibetanos contra o domínio chinês.



Em uma coletiva de imprensa, Wen disse ainda que a alegação do líder espiritual tibetano - que vive no exílio na Índia - de
que as autoridades chinesas cometeram um "genocídio cultural" no Tibete "não passa de mentira".


"Há
ampla evidência provando que esse incidente foi organizado,
premeditado, arquitetado e incitado pelo bando do Dalai", disse Wen.
"Isso tudo revelou que as alegações do bando do Dalai de que eles
buscam não a independência, mas sim o diálogo pacífico, não passam de
mentiras."


Os comentários foram os primeiros de Wen desde o início da onda de violência. Ele disse ainda que a resposta do governo chinês
aos protestos foi moderada, de acordo com a lei.


Segundo o governo chinês, 13 pessoas foram mortas por manifestantes em Lhasa, a capital do Tibete.

No entanto, tibetanos que vivem no exílio disseram que pelo menos 80 manifestantes foram mortos pelas forças de segurança
chinesas durante a repressão aos protestos.


Wen acusou também os manifestantes de tentar sabotar os Jogos Olímpicos de Pequim, que começam no dia 8 de agosto.

Nesta
segunda-feira, ministros dos Esportes e representantes dos comitês
olímpicos de países europeus descartaram a possibilidade de boicotar a
Olimpíada de Pequim por causa da repressão aos recentes protestos no
Tibete.


Leia também na BBC Brasil: Europeus descartam boicote à Olimpíada por causa do Tibete



Protestos

Os
protestos começaram como uma reação à notícia de que monges budistas
teriam sido presos depois de realizar uma passeata para marcar os 49
anos de um levante tibetano contra o domínio chinês e já são
considerados os maiores e mais violentos dos últimos 20 anos.

O Dalai Lama - que ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1989 por sua oposição ao uso de violência na busca pela autonomia do Tibete
- já apelou várias vezes pelo diálogo com a China.


Nesta segunda-feira, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse estar preocupado com a violência no Tibete e pediu que
a China seja tolerante com os manifestantes.


"Neste
momento, faço um apelo às autoridades para que mostrem comedimento e
peço a todos os envolvidos que evitem mais confrontos e violência",
disse Ban.


Leia também na BBC Brasil: Ban Ki-moon pede à China tolerância com o Tibete



Os protestos entraram em sua segunda semana e se espalharam para províncias próximas da região do Himalaia, como Gansu, Qinghai
e Sichuan.


Em Lhasa, é grande o número de policiais nas ruas. Às 13h desta segunda-feira (horário de Brasília), venceu um prazo do governo
chinês para que os manifestantes se entregassem à polícia ou ficassem sujeitos a punições.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Ter Mar 18, 2008 2:16 am

olha olha quem fala
O Dela Lama é o gajo mais pacifico do Mundo e é acusado pelos seus de nada fazer á porrada
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Ter Mar 18, 2008 10:12 am

E AS ESQUERDAS, caladinhas!!! Se fosse BUSH.............
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Ter Mar 18, 2008 12:43 pm

Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar










Dalai Lama diz que renúncia é opção caso violência prossiga

O Dalai Lama pediu nesta terça-feira o fim dos protestos violentos no Tibete e negou a acusação do primeiro-ministro da China,
Wen Jiabao, que o acusou de incitar a atual onda de violência na região.



"Até
o primeiro-ministro me acusou de ter iniciado todas estas coisas",
afirmou. "Na verdade, não. Se vier aqui e investigar nossos arquivos,
todos os registros de meus discursos, o primeiro-ministro saberá o
quanto foi distorcido por autoridades locais."

"Violência é contra a natureza humana", acrescentou. "Nós não deveríamos desenvolver sentimentos anti-chineses. Nós precisamos
viver juntos lado a lado."




Assista à reportagem



Durante a entrevista em Dharamsala, na Índia, onde vive exilado, o Dalai Lama sugeriu que os protestos contra a China saíram
de controle e ameaçou deixar o posto de chefe do governo tibetano no exílio.


"Se as coisas estão fugindo ao controle, então a opção é renunciar totalmente (como líder político)", afirmou o líder tibetano.
"Este movimento está além do nosso controle."


Domínio chinês

A atual onda de violência que tomou conta do Tibete começou no último dia 10, quando começaram os novos protestos de tibetanos
contra o domínio chinês.


Segundo as autoridades chinesas, 13 pessoas foram mortas por manifestantes em Lhasa, a capital do Tibete.


Leia também na BBC Brasil: Premiê chinês acusa Dalai Lama de incitar violência no Tibete



No entanto, tibetanos que vivem no exílio dizem que 99 manifestantes foram mortos pelas forças de segurança chinesas durante
a repressão aos protestos.


Em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira, o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao fez os primeiros comentários desde o
início da onda de violência.


Além de acusar o Dalai Lama de incitação à violência, Jiabao também afirmou que a alegação do líder espiritual tibetano de
que autoridades chinesas cometeram um "genocídio cultural" no Tibete "não passa de mentira".


Protestos

Os protestos começaram como uma reação à notícia de que monges budistas teriam sido presos depois de realizar uma passeata
para marcar os 49 anos de um levante tibetano contra o domínio chinês.


As manifestações tibetanas dos últimos dias já são consideradas os maiores e mais violentos protestos do tipo dos últimos
20 anos.


O Dalai Lama - que ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1989 por sua oposição ao uso de violência na busca pela autonomia do Tibete
- já apelou várias vezes pelo diálogo com a China.


Na segunda-feira, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse estar preocupado com a violência no Tibete e pediu que a China
seja tolerante com os manifestantes.


Os protestos entraram em sua segunda semana e se espalharam para províncias próximas da região do Himalaia, como Gansu, Qinghai
e Sichuan.


Em
Lhasa, é grande o número de policiais nas ruas. Na segunda-feira,
venceu um prazo do governo chinês para que os manifestantes se
entregassem à polícia ou ficassem sujeitos a punições, mas ainda não há
informações de uma ação dos militares.

De acordo
com Daniel Griffiths, correspondente da BBC que está no oeste da China,
longos comboios de veículos militares se dirigiram para o Tibete pelas
montanhas. Há informações não confirmadas de que soldados estão
isolando cidades na região.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Ter Mar 18, 2008 12:45 pm

AS HIPOCRITAS ESQUERDAS =Sleep Sleep Sleep Sleep Sleep Sleep Sleep
Voltar ao Topo Ir em baixo
trocatretas

avatar

Mensagens : 308
Data de inscrição : 14/11/2007
Idade : 61

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Ter Mar 18, 2008 1:39 pm

Da Laí Lama
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
mike

avatar

Mensagens : 283
Data de inscrição : 16/03/2008

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Qui Mar 20, 2008 1:45 am

"O Dalai Lama é um lobo com hábito de monge"

Líder do Partido Comunista do Tibete ataca líder espiritual

A China luta contra o Dalai Lama um combate de "vida ou morte", disse o líder do Partido Comunista do Tibete, Zhang Qingli, citado pelo jornal oficial Tibet Daily, num violento ataque ao líder espiritual tibetano no exílio.

Tibete País no tecto do Mundo

"O Dalai Lama é um lobo com hábito de monge, um diabo de face humana mas com o coração de uma fera", disse Zhang, conhecido pelas suas posições ortodoxas, numa reunião do governo regional tibetano.

"O que lutamos é uma batalha feroz de sangue e fogo contra o grupo do Dalai Lama, uma batalha de vida ou de morte entre nós e o inimigo", disse Zhang.

O tema da batalha de "vida ou morte" foi repetido também, hoje, em Pequim numa conferência de imprensa do antigo vice-presidente da assembleia legislativa chinesa Ragdi, ele próprio de etnia tibetana.

"O combate de vida ou morte entre nós e o grupo do Dalai Lama e os seus apoiantes em alguns países do Ocidente que buscam o antagonismo é uma competição política pela escolha entre a separação ou a unificação" do Tibete, disse Ragdi, em conferência de imprensa.

Ragdi, que é também presidente honorário da Comissão Consultiva para o Desenvolvimento da Região Autónoma do Tibete, considerou ainda que o governo já esperava novos protestos contra a administração chinesa no Tibete.

"Um acontecimento separatista teria acontecido mais cedo ou mais tarde. Era só uma questão de tempo e local", disse Ragdi, que entrou na década de 1970 no Partido Comunista do Tibete e é um dos poucos tibetanos que alguma vez subiram na hierarquia do poder na China.

Os piores portestos desde 1989

Os protestos em Lassa, capital do Tibete, foram os piores desde 1989 contra a administração chinesa. Os manifestantes, liderados por monges, iniciaram uma vigília pacífica no dia 10 de Março, aniversário da revolta falhada de 1959 contra a dominação chinesa, quando o Exército chinês entrou na região e matou dezenas de milhares de pessoas.

A manifestação tornou-se violenta na sexta-feira, com o governo chinês a acusar os manifestantes de serem responsáveis pela morte de 16 pessoas. Os grupos exilados tibetanos desmentem e dizem que a repressão chinesa causou entre 80 e 100 mortos.

Na terça-feira, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, acusou os apoiantes do Dalai Lama de terem organizado os protestos numa campanha de sabotagem dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, que decorrem entre 08 e 24 de Agosto, e de promoção do que considerou ser uma "campanha a favor da independência" do Tibete.

O Dalai Lama, prémio Nobel da paz em 1989, insiste que defende apenas uma "autonomia significativa" para o Tibete e apelou aos seus seguidores para agirem pacificamente, ameaçando demitir-se da chefia do governo do Tibete no exílio se a violência entrar fora de controlo.

O Dalai Lama apelou também para o diálogo com Pequim, algo que a China recusou liminarmente.

China reforça presença militar

A China está a reforçar a guarnição da polícia paramilitar no Tibete, disse hoje à agência Lusa um jornalista estrangeiro na província de Sichuan, fronteira ao Tibete, apesar de Pequim garantir controlar a situação na região tibetana.

O repórter fotográfico ocidental contou à agência Lusa ter visto passar um comboio da polícia paramilitar chinesa, responsável pelas operações anti-motim, na estrada que liga o Tibete à capital de Sichuan, Chengdu, onde está estacionada a maior guarnição militar chinesa no oeste do país.

"Eram 20 camiões de transporte de tropas, carregadas com armas automáticas, alguns jipes e uma ambulância identificada como parte da Força de Resposta Rápida da Polícia Popular Armada", a polícia paramilitar, disse o fotógrafo.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, disse que o governo chinês controla a situação no Tibete depois dos protestos da passada semana, mas outras testemunhas dão conta de várias movimentações militares das províncias de Sichuan, Qinghai e Gansu para o interior do Tibete, com comboios de centenas de camiões de transportes de tropas.

Com a China a impedir a entrada de turistas e jornalistas estrangeiros no Tibete, é impossível confirmar as informações, mas tudo leva a crer que a China está a aumentar com intensidade a presença militar na região tibetana, apesar da retórica oficial de calma e confiança.

Os meios de comunicação social chineses, todos controlados e detidos pelo Estado chinês, reproduzem hoje com fidelidade a versão do governo, com a agência noticiosa oficial Nova China a afirmar que a capital tibetana, Lhasa, "está basicamente sob controlo".

sic online


Última edição por mike em Qui Mar 20, 2008 2:30 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Qui Mar 20, 2008 2:29 am

mike escreveu:
"O Dalai Lama é um lobo com hábito de monge"

Líder do Partido Comunista do Tibete ataca líder espiritual

A China luta contra o Dalai Lama um combate de "vida ou morte", disse o líder do Partido Comunista do Tibete, Zhang Qingli, citado pelo jornal oficial Tibet Daily, num violento ataque ao líder espiritual tibetano no exílio.

Tibete País no tecto do Mundo

"O Dalai Lama é um lobo com hábito de monge, um diabo de face humana mas com o coração de uma fera", disse Zhang, conhecido pelas suas posições ortodoxas, numa reunião do governo regional tibetano.

"O que lutamos é uma batalha feroz de sangue e fogo contra o grupo do Dalai Lama, uma batalha de vida ou de morte entre nós e o inimigo", disse Zhang.

O tema da batalha de "vida ou morte" foi repetido também, hoje, em Pequim numa conferência de imprensa do antigo vice-presidente da assembleia legislativa chinesa Ragdi, ele próprio de etnia tibetana.

"O combate de vida ou morte entre nós e o grupo do Dalai Lama e os seus apoiantes em alguns países do Ocidente que buscam o antagonismo é uma competição política pela escolha entre a separação ou a unificação" do Tibete, disse Ragdi, em conferência de imprensa.

Ragdi, que é também presidente honorário da Comissão Consultiva para o Desenvolvimento da Região Autónoma do Tibete, considerou ainda que o governo já esperava novos protestos contra a administração chinesa no Tibete.

"Um acontecimento separatista teria acontecido mais cedo ou mais tarde. Era só uma questão de tempo e local", disse Ragdi, que entrou na década de 1970 no Partido Comunista do Tibete e é um dos poucos tibetanos que alguma vez subiram na hierarquia do poder na China.

Os piores portestos desde 1989

Os protestos em Lassa, capital do Tibete, foram os piores desde 1989 contra a administração chinesa. Os manifestantes, liderados por monges, iniciaram uma vigília pacífica no dia 10 de Março, aniversário da revolta falhada de 1959 contra a dominação chinesa, quando o Exército chinês entrou na região e matou dezenas de milhares de pessoas.

A manifestação tornou-se violenta na sexta-feira, com o governo chinês a acusar os manifestantes de serem responsáveis pela morte de 16 pessoas. Os grupos exilados tibetanos desmentem e dizem que a repressão chinesa causou entre 80 e 100 mortos.

Na terça-feira, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, acusou os apoiantes do Dalai Lama de terem organizado os protestos numa campanha de sabotagem dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, que decorrem entre 08 e 24 de Agosto, e de promoção do que considerou ser uma "campanha a favor da independência" do Tibete.

O Dalai Lama, prémio Nobel da paz em 1989, insiste que defende apenas uma "autonomia significativa" para o Tibete e apelou aos seus seguidores para agirem pacificamente, ameaçando demitir-se da chefia do governo do Tibete no exílio se a violência entrar fora de controlo.

O Dalai Lama apelou também para o diálogo com Pequim, algo que a China recusou liminarmente.

China reforça presença militar

A China está a reforçar a guarnição da polícia paramilitar no Tibete, disse hoje à agência Lusa um jornalista estrangeiro na província de Sichuan, fronteira ao Tibete, apesar de Pequim garantir controlar a situação na região tibetana.

O repórter fotográfico ocidental contou à agência Lusa ter visto passar um comboio da polícia paramilitar chinesa, responsável pelas operações anti-motim, na estrada que liga o Tibete à capital de Sichuan, Chengdu, onde está estacionada a maior guarnição militar chinesa no oeste do país.

"Eram 20 camiões de transporte de tropas, carregadas com armas automáticas, alguns jipes e uma ambulância identificada como parte da Força de Resposta Rápida da Polícia Popular Armada", a polícia paramilitar, disse o fotógrafo.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, disse que o governo chinês controla a situação no Tibete depois dos protestos da passada semana, mas outras testemunhas dão conta de várias movimentações militares das províncias de Sichuan, Qinghai e Gansu para o interior do Tibete, com comboios de centenas de camiões de transportes de tropas.

Com a China a impedir a entrada de turistas e jornalistas estrangeiros no Tibete, é impossível confirmar as informações, mas tudo leva a crer que a China está a aumentar com intensidade a presença militar na região tibetana, apesar da retórica oficial de calma e confiança.

Os meios de comunicação social chineses, todos controlados e detidos pelo Estado chinês, reproduzem hoje com fidelidade a versão do governo, com a agência noticiosa oficial Nova China a afirmar que a capital tibetana, Lhasa, "está basicamente sob controlo".

sic online


UKU Tibetanos estãO A FAZER É SEGURAR A CHINAS PELOS TOMATES
ou
kumu QUEM DIZ
pELOS jOGOSD OLIMPICOS
e A FURIA cHINESA É EVIDENTE
E cHAMAR TERRORISTA e Lobo ao Delai lama é o mesmo que chamar a uma Galinha uma bazouca
ainda se fosse brazuca ( dava grelhado )
A China ao capitalizar-se kilhou-se
Agora olha para os dolares a entrar e o comercio esticado ao mundo Ocidental
e
Pinça ( verbo pensar com kuidado = kem tem Ku tem medo )
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: China admite que protestos se espalharam para fora do Tibete   Qui Mar 20, 2008 6:21 am

China admite que protestos se espalharam para fora do Tibete








Marina Wentzel
De Hong Kong para a BBC Brasil





Governo chinês afirma que 24 manifestantes foram presos

A imprensa oficial da China informou pela primeira vez, nesta quinta-feira, que os protestos contra a dominação chinesa no
Tibete, que tiveram início na semana passada, se espalharam para outras províncias.



Segundo
a agência de notícias estatal Xinhua, desde a manhã de sábado várias
áreas das províncias de Sichuan e Gansu têm enfrentado distúrbios.

A confirmação do avanço dos protestos pela imprensa oficial vem após uma equipe de TV canadense ter obtido secretamente imagens
que mostram manifestantes tibetanos em ação em regiões vizinhas ao Tibete na terça-feira.



Nesta quinta-feira, o governo da China também anunciou que o número de manifestantes que se renderam em Lhasa, capital do
Tibete, subiu de 105 para 170.


O jornal local, Tibet Daily, publicou que 24 pessoas envolvidas nos confrontos foram presas, e o governo prometeu punir severamente aqueles que resistirem
e seguirem se escondendo.


Testemunhas em Lhasa disseram à BBC que a situação na capital aos poucos retorna ao normal, apesar do aumento da presença
de forças de segurança chinesas.


Protestos

De acordo com a imprensa estatal chinesa, os manifestantes Tibetanos atacaram escritórios do governo, delegacias, hospitais,
escolas, lojas e supermercados de Gansu e Sichuan.


Os manifestantes teriam hasteado a bandeira do governo tibetano no exílio e atirado pedras e bombas caseiras, enquanto gritavam
palavras de ordem pedindo por “independência para o Tibete”.


A
versão oficial chinesa não informa se a polícia entrou em confronto
direto com os manifestantes, nem quantos pessoas ficaram feridas, mas
afirma que os tibetanos se portaram "com violência", agredindo oito
oficiais de segurança do governo e pelo menos três funcionários
públicos.

Foram registrados confrontos nos distritos de Xiahe, Maqu, Luqu e Jone e na cidade de Hezuo.

Essas áreas ficam dentro de Gannan, uma região localizada no sul da província de Gansu, onde a população é de etnia tibetana.



Na província de Sichuan, o foco de tensão está no município de Aba e arredores.

Dalai lama

A China afirma que os protestos estão sendo incitados pelo líder espiritual do Tibete, o Dalai Lama, que vive exilado na Índia.

Mas o Dalai Lama nega que esteja por trás dos protestos. Ele chegou a dizer que poderia renunciar à liderança caso ocorra
uma escalada de violência e pediu que a China retome o diálogo.


O
governo local de Gansu disse ter encontrado panfletos pró-independência
do Tibete circulando entre a população desde o dia 10 de março - quando
os protestos foram iniciados, como uma reação à notícia de que monges
budistas teriam sido presos depois de realizar uma passeata para marcar
os 49 anos de um levante tibetano contra o domínio chinês.

“A julgar pelos indícios, a destruição foi organizada e incitada por separatistas dentro da China e no exterior para minar
a ordem social”, disse um alto oficial de Gannan, Mao Shengwu.


Até o momento, o governo da China reconhece que 325 pessoas ficaram feridas e 16 morreram nos confrontos em Lhasa, mas segundo
tibetanos no exílio, mais de 99 pessoas teriam morrido.


A
imprensa internacional tem acompanhado com distância o desenrolar dos
protestos, pois as autoridades da China bloquearam o acesso de
jornalistas às áreas afetadas e censuraram todas as informações que
venham de fontes extra-oficiais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   Qui Mar 20, 2008 11:36 am

a Koisa esta feia
se aquece ...adeus JO
Estive a ver o 24 ( Frances em directo )
e
A china tenta desesperadamente controlar os media
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Dalai Lama pede fim de violência e ameaça renunciar
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Debate sobre o livro Universo em um átomo de Dalai Lama
» POVO DE ISRAEL PEDE UM REI A DEUS (5°)
» A frase imperativa: "Dá a todo o que te pede": ´É um Conselho, é uma Doutrina ou é uma Lei ?
» Globo quer combater crescimento da Record/IURD em Portugal
» ACP pede aos condutores que não cumpram ordens da câmara

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Europa e o Mundo-
Ir para: