InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 A revolta dos funcionários da ilha mais rica dos EUA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: A revolta dos funcionários da ilha mais rica dos EUA   Qua Nov 21, 2007 4:15 am

A revolta dos funcionários da ilha mais rica dos EUA

Grupo garante que a segregação ainda existe em Fisher Island
"Quando se entra no ferry, são brancos para um lado e negros para o outro", explicou Mariette Casseus ao diário britânico The Times. E a empregada doméstica numa das mansões de Fisher Island, a ilha americana ao largo de Miami, na Florida, não estava a falar dos anos 50 quando a segregação racial marcava o quotidiano nos EUA, mas sim do que acontece todos os dias no barco que faz o percurso de 15 minutos entre o continente e a ilha.

Considerado "o código postal mais rico dos EUA" pela revista Forbes, Fisher Island depara-se agora com a revolta dos seus funcionários. A "ilha de sonho", onde o rendimento médio per capita é de 236 mil dólares (159 mil euros), a areia veio das Baamas e os tucanos enchem as árvores de cor, foi palco no fim-de-semana de uma manifestação que reuniu centenas de funcionários. São homens e mulheres que, por salários que rondam os 55 dólares por dia, cortam a relva das mansões de luxo e campos de golfe, cuidam dos carros desportivos e da segurança dos milionários que vivem na ilha.

"Quando os super-ricos têm uma ilha isolada só para eles, acabam por desenvolver uma mentalidade colonial e vêem as pessoas como seus empregados e não como seres humanos", disse ao Times Magdaleno Rose-Avila, director da organização Interfaith Workers Justice. Para lutar contra o que consideram ser um exemplo perfeito do abismo entre ricos e pobres nos EUA, um grupo de funcionários decidiu apresentar uma queixa no Gabinete para a Igualdade de Oportunidades de Miami. Os funcionários, na sua maioria negros e hispânicos, acusam a empresa responsável pela travessia de ferry de "segregacionismo".

O barco é mesmo a única forma de chegar à ilha - desde que se seja residente ou se tenha sido convidado. A outra opção é ser dono de um iate ou de um helicóptero. No ferry, os funcionários garantem ser obrigados a "entrar antes dos carros de luxo" dos 467 habitantes da ilha. Caso contrário, estão proibidos de passar junto aos veículos para "não os mancharem com as suas impressões digitais".

Curiosamente, a ilha pertenceu em tempos a Dana Dorsey, primeira milionária afro-americana da Florida. Em 1919, o construtor Carl Fisher comprou o pedaço de terra roubado ao mar em 1905, dando-lhe o seu nome. Adquirida pelo milionário William Vanderbilt, a ilha, com os seus 18 courts de ténis, duas marinas e um heliporto, tornou-se pólo de atracção para ricos e famosos como a actriz Julia Roberts, o tenista André Agassi ou o cantor Ricky Martin, que lá tiveram mansões.

Mas para os funcionários: "Fisher Island deve ser uma ilha só e não estar dividida entre ricos e pobres".

DN
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: A revolta dos funcionários da ilha mais rica dos EUA   Qua Nov 21, 2007 9:18 am

fisher island, NAO E A ilha mais rica dos USA!!1
jupiter island, E A ILHA MAIS RICA DO mundo!!!! Tanbem na FLORIDA!!!

Mas se fossemos falar de ILHA MAIS RICA DA AMERICA ou do MUNDO, entao MANHATTAN, nao tem competicao!!! Wink

http://moneycentral.msn.com/content/invest/forbes/p62018.asp
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A revolta dos funcionários da ilha mais rica dos EUA
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Não haveria mais demora...
» Sapato jogado em Bush vende mais
» Evolucionistas cada vez mais espiritas
» Mulheres em periodo fertil ficam mais receptivas a estranhos
» Jogo mais difícil do mundo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Europa e o Mundo-
Ir para: