InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 SEXO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: SEXO   Ter Jan 29, 2008 10:04 pm

Informei-me e no BRASIL ja fazem isso!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Salto alto pode melhorar vida sexual de mulheres, diz estudo   Ter Fev 05, 2008 3:13 am

Salto alto pode melhorar vida sexual de mulheres, diz estudo

Assimina Vlahou
De Roma para a BBC Brasil



Sapato de salto alto
Uso do salto já foi associado a males como a esquisofrenia
Um estudo feito por uma cientista italiana indica que usar sapato com salto de até 7 cm pode ajudar a relaxar e a fortalecer os músculos da região pélvica, relacionados ao orgasmo.

Maria Cerruto, urologista da Universidade de Verona, examinou durante dois anos 66 mulheres com menos de 50 anos e que ainda não estavam na menopausa para entender a relação entre as diferentes partes do corpo e a região da pélvis.

Os testes foram feitos com mulheres em pé e paradas. A pesquisadora percebeu ao colocar as mulheres num plano inclinado oscilante, que simulava o uso do sapato de salto alto e variava o grau de inclinação, que surgiam diferentes tipos de reflexo na região pélvica.

O estudo demonstrou que usar salto pode provocar o relaxamento da musculatura pélvica, levando a uma contração melhor daquela área.

"Da mesma forma que há ligação entre uma alteração da mandíbula e a postura, do ponto de vista urológico uma diferente posição do tornozelo pode influenciar a atitude do pavimento pélvico", explicou Cerruto em entrevista à BBC Brasil.

Os músculos desta região são conhecidos também como os "músculos do prazer" porque estão diretamente envolvidos no orgasmo.

Altura

De acordo com a pesquisa, publicada na revista especializada inglesa European Urology, o efeito positivo não é maior se o salto for mais alto - é preciso considerar a relação entre o tamanho do pé e a altura do sapato.

"O salto não deve ser superior a 7 cm, isto é, deve haver uma inclinação da articulação de cerca 10 ou 15 graus, porque é preciso que o paciente esteja confortável. Um salto de cerca de 4 ou 5 cm seria o ideal, encontrando um meio-termo entre o bem-estar do pavimento pélvico e o do paciente como um todo", explica Maria Cerruto.

A pesquisadora, de 34 anos de idade, diz que gosta de usar salto alto. Preocupada com informações, nem sempre comprovadas, que ligavam o uso de sapatos de salto a males como a esquizofrenia, ela resolveu procurar algo de positivo no uso do acessório.

"Até agora avaliamos especificamente a esfera sexual, mas sabemos que o uso do salto pode ter efeitos nesta área (da pélvis), com implicações em tudo que se relaciona com a funcionalidade pélvica, como dor, prazer, orgasmo. Seguramente influencia, mas não sabemos ainda exatamente em que termos", afirmou a urologista.

Segundo a estudiosa, as mulheres não têm facilidade para fazer exercícios específicos e estimular esta área do corpo. A seu ver, o uso do salto poderia ser uma solução.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Presidente da Junta
Admin
avatar

Mensagens : 944
Data de inscrição : 17/10/2007

MensagemAssunto: Grávida após leilão de sexo online quer saber quem é o pai   Qui Fev 14, 2008 11:46 am

Grávida após leilão de sexo online quer saber quem é o pai

Uma alemã, que ficou grávida após um leilão online de sexo, conseguiu que o tribunal obrigasse o site que promoveu o «negócio» a revelar os nomes dos vencedores, com o objectivo de descobrir quem é o pai do bebé.

Seis homens venceram o leilão para ter relações sexuais com a mulher, em Abril e Maio do ano passado, tendo sido identificados apenas pelos seus nomes virtuais. Agora, ela terá direito aos seus dados de contacto e, caso não aceitem fazer um teste de paternidade, poderá processá-los.

Antes de recorrer à justiça, a mulher pediu ao operador do site para que este revelasse a verdadeira identidade dos homens, mas o portal negou o pedido, alegando a cláusula de confidencialidade.

Posteriormente, o tribunal decidiu então a favor dela, afirmando que a criança tem o direito de saber quem é o seu pai. Contudo, as autoridades não revelaram a idade e a nacionalidade da mulher.

14-02-2008 13:25:41

diario digital
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Cientistas afirmam ter localizado o ponto G das mulheres   Dom Fev 24, 2008 3:26 am

Cientistas afirmam ter localizado o ponto G das mulheres graças à ecografia


21.02.2008, Ana Gerschenfeld

Orgasmo vaginal, ejaculação feminina. Lenda ou realidade? Em termos anatómicos, o mistério gira em torno da localização do fugidio "ponto G" das mulheres. Será que foi encontrado?

Quando, em 1950, o ginecologista alemão Ernst Gräfenberg postulou que as mulheres possuíam uma pequena região erógena particularmente sensível, situada no espaço entre a vagina e a uretra, nunca terá pensado que, no século XXI, os especialistas ainda estariam a debater a veracidade - ou não - da sua hipótese.
O ponto G, assim baptizado nos anos 1980 em sua honra, era uma tentativa de explicar por que razão algumas mulheres diziam ter orgasmos particularmente intensos e profundos, provocados pela estimulação da parede anterior interna da vagina. Mas é um facto que, até hoje, as provas científicas da sua existência não abundam. Existem, sim, testemunhos de mulheres que garantem ter orgasmos vaginais - por oposição àquelas que têm orgasmos clitoridianos ou que não têm orgasmos - e de mulheres que relatam mesmo uma ejaculação semelhante à do homem durante o orgasmo. Mas os dados são subjectivos e pouco fiáveis.
Essa situação poderá mudar em breve, se se confirmarem os dados preliminares obtidos por uma equipa de investigadores italianos, que adoptaram uma abordagem diferente, através da ecografia ginecológica, para tentar visualizar o ponto G. Pela primeira vez, descobriram sinais anatómicos que, segundo dizem, confirmam a existência do ponto G.
Emmanuele Jannini, da Universidade de L"Aquila, e a sua equipa, que vão publicar os seus resultados na próxima edição (de Março) do Journal of Sexual Medicine, fizeram ecografias com sonda vaginal a 20 mulheres, das quais apenas nove diziam ter orgasmos vaginais. E descobriram que essas nove mulheres apresentavam uma maior espessura do tecido situado entre a uretra e a vagina do que as outras. "Pela primeira vez", disse Jannini à revista New Scientist, torna-se possível determinar de maneira simples, rápida e barata se uma mulher tem ou não um ponto G."
A próstata das mulheres?
Os mesmos investigadores já tinham feito, em 2002, uma análise bioquímica dos tecidos em causa. E tinham detectado a presença de uma proteína, a PDE5, que nos homens está relacionada com a erecção (o Viagra actua inibindo a acção desta substância). Nessa altura, Jannini tinha dito à New Scientist que isso poderia significar que os orgasmos vaginais estivessem relacionados com umas pequenas glândulas, igualmente situadas na região do hipotético ponto G: as glândulas de Skene. Também conhecidas como "próstata feminina", estas pequenas estruturas comunicam com a uretra e poderão ser o sítio onde tem origem a ainda mais hipotética ejaculação feminina, uma descarga de líquido para a uretra que algumas mulheres afirmam ter ao mesmo tempo que o orgasmo vaginal. Para Jannini, os últimos resultados vêm reforçar o elo entre as glândulas de Skene e o ponto G.
"As mulheres sem qualquer indício visível de ponto G não podem ter orgasmos vaginais", salienta o investigador. Para as outras, não há porém razão para desespero: "Ainda podem ter um orgasmo normal através da estimulação do clítoris."
Mas nem todos os especialistas ouvidos pela New Scientist se mostraram assim tão optimistas: há quem pense que todas as mulheres têm um ponto G, mais ou menos activo; há quem pense que o que os cientistas italianos encontraram não é senão uma ramificação do clítoris; há quem pense ainda que o orgasmo vaginal é algo que se adquire com o treino, que faz aumentar a espessura do tecido entre a uretra e a vagina, tal como o culturismo aumenta o volume dos músculos.
Quanto a saber se o ponto G não será apenas uma extensão do clítoris, Jannini, contactado pelo PÚBLICO, dá os seus argumentos: "No fundo", diz o investigador, "temos a certeza de que estamos a medir uma extensão do clítoris! O ponto G é na realidade uma região que contém vasos (a corpora cavernosa do clítoris), glândulas (de Skene) e nervos (que, como mostrámos em 2002, contêm PDE5, isto é a maquinaria bioquímica da excitação masculina, o alvo do Viagra). Portanto, o ponto G é uma região complexa que contém todas estas estruturas, quando presentes. Digo "quando presentes", porque algumas mulheres não possuem nenhuma destas estruturas."
O que vem a seguir? "Estamos agora a determinar quantas mulheres têm um ponto G", diz-nos Jannini. "Isso é fácil e é apenas uma questão de tempo: queremos ter pelo menos 200 participantes antes de publicar."
Mas, "o que é mais importante", os investigadores estão já a pensar em possíveis fármacos que permitam aumentar o ponto G das mulheres que o têm. "Estamos agora em vias de mostrar que o ponto G (tal como o clítoris) depende dos níveis de testosterona em circulação", salienta Jannini. "Trabalhamos com mulheres que tiveram uma menopausa precoce e que, como apresentavam níveis patologicamente baixos de testosterona, recorreram a um adesivo de testosterona (à venda na Europa há seis meses). E os nossos resultados preliminares indicam que, durante esse tratamento, o tamanho do ponto G destas jovens mulheres aumentou." Vem aí o "Viagra" feminino?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: SEXO   Dom Fev 24, 2008 3:28 am

A ejaculação feminina é real?


Existe para as mulheres ruandesas, que praticam uma "modificação genital" para a facilitar

Embora os cientistas ocidentais sejam cautelosos quanto à existência de ejaculação nas mulheres, dados recentes revelam que o fenómeno é muito real para as mulheres ruandesas, que recorrem a uma prática que consideram facilitadora da ejaculação e do orgasmo femininos. Marian Koster e Lisa Price, da Universidade de Wageningen, na Holanda, observaram que no Ruanda, a partir da puberdade e até ao casamento, as jovens esticam manualmente os pequenos lábios da vulva para os alongar, utilizando plantas com propriedades antissépticas, analgésicas, antimicrobianas e anti-inflamatórias para facilitar o processo. A OMS considera esta prática uma mutilação genital feminina, mas Koster e Price não concordam, argumentando, num comunicado da universidade, que não detectaram nem indícios de redução do prazer sexual destas mulheres nem qualquer violação da sua integridade ou direitos. As investigadoras propõem que, neste caso, se passe a utilizar a expressão "modificação genital feminina". A OMS, diz o documento, deverá em breve emendar a sua classificação. A.G.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Dom Fev 24, 2008 3:49 am

interessante

Se fosse sobre vegetais dava uma achega
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Castigos corporais podem causar problemas sexuais   Qui Fev 28, 2008 1:20 pm

Castigos corporais podem causar problemas sexuais na adolescência

Os castigos corporais às crianças poderão causar-lhes problemas sexuais na adolescência e na idade adulta, segundo um relatótio do Laboratório de Investigações Familiares da Universidade de Hampshire (EUA)

Segundo Murrat Straus, co-director do laboratório, a análise de quatro relatórios sobre castigos corporais de pais a filhos revelou que estavam directamente relacionados com três problemas sexuais que surgem na adolescência ou na idade madura: violência física nas relações sexuais, sexo sem preservativo e sexo masoquista.

Straus apresentou o seu relatório numa reunião sobre Violência e Abuso nas Relações realizada pela Associação de Psicologia dos Estados Unidos.

«Estes resultados, juntamente com mais de 100 outros estudos, sugerem que o castigo corporal origina relações sexuais violentas e problemas de saúde mental» , disse Straus.

O investigador acrescentou que a prevenção da relação sexual violenta é fundamental.

«Podemos prevenir os problemas de saúde mental e a violência nas relações sexuais com uma política de saúde nacional que recomende que nunca se aplique o castigo corporal às crianças» , disse.

Os castigos corporais a crianças praticados na família são proibidos e punidos em 19 países do mundo, incluindo Portugal, o que representa 2,3 por cento da população infantil mundial.

Contudo ainda existem 178 países que permitem este tipo de actos.

Segundo um documento sobre o fim dos castigos corporais da autoria da Global Initiave To End All Corporal Punishement of Children apresentado no final de 2006, Portugal aparece como um dos Estados que alterou a sua legislação tendo em vista o respeito pelos direitos da criança e a abolição dos castigos corporais.

O documento refere que mais de 100 Estados proibiram toda a punição corporal na escola, o que representa 41,2 por cento da população infantil e quase 150 fizeram-no no que respeita ao sistema penal.

Na verdade, adianta o relatório, o mundo caminha rapidamente para a aceitação dos direitos das crianças, para o respeito pela sua dignidade humana e integridade física, mas ainda há um percurso a percorrer para que esta aceitação esteja plasmada na legislação.

Portugal, Nova Zelândia e Holanda foram os últimos a incluir na legislação artigos que punem claramente os castigos corporais em casa, seguindo assim a Grécia, que o fez em 2006, e a Hungria e a Roménia, em 2004.

O primeiro país a tomar esta iniciativa foi a Suíça em 1979, seguido da Finlândia em 1983, da Noruega em 1987, da Áustria em 1989, Chipre em 1994, Dinamarca em 1997, Letónia e Croácia em 1998, Israel, Alemanha e Bulgária em 2000 e Islândia em 2003.

Lusa / SOL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Qui Fev 28, 2008 3:49 pm

Xô Esquerda escreveu:
Castigos corporais podem causar problemas sexuais na adolescência

Os castigos corporais a crianças praticados na família são proibidos e punidos em 19 países do mundo, incluindo Portugal, o que representa 2,3 por cento da população infantil mundial.


Penso que em Portugal há (houve?) ainda excepcções. Ali para os lados de Almada dava-se muita porrada no pessoal pequeno. E hoje vemos as consequências....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: SEXO   Qui Fev 28, 2008 11:31 pm

Acho que se o RAGUIAR tivesse levado umas boas porradas dos PAIS quando era crianca, NAO ERA HOJE ASSIM!!! Esse individuo ANGUSTIADO, MAL COM A VIDA, COM UM FEITIO FU----!!! mAS DESCONFIO QUE EM PESSOA E UMA docura!!!! Frente a frente!!! Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Sex Fev 29, 2008 2:27 am

RONALDO ALMEIDA escreveu:
Acho que se o RAGUIAR tivesse levado umas boas porradas dos PAIS quando era crianca, NAO ERA HOJE ASSIM!!! Esse individuo ANGUSTIADO, MAL COM A VIDA, COM UM FEITIO FU----!!! mAS DESCONFIO QUE EM PESSOA E UMA docura!!!! Frente a frente!!! Wink


Não me diga que se reviu no meu comentário???? Estranho. Almada já tem muita gente. E o RON era mais conhecido aqui pela Defensor de Chaves. É o que diz o maitre do restaurante Namur, muito frequentado por si... entre dois engates.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: SEXO   Sex Fev 29, 2008 3:09 am

UM VERDADEIRO psicopata, PROVAVELMENTE COM VIDA DUPLA!!! Mas nao se preocupe, que PEDOFILICO nao ao lhe acontece nada!!! Por isso esta seguro!!! Va-se tratar!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Sex Fev 29, 2008 4:23 am

RONALDO ALMEIDA escreveu:
UM VERDADEIRO psicopata, PROVAVELMENTE COM VIDA DUPLA!!! Mas nao se preocupe, que PEDOFILICO nao ao lhe acontece nada!!! Por isso esta seguro!!! Va-se tratar!!!

Pode tentar traduzir para português???? Obrigado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Sex Fev 29, 2008 10:16 am

por acaso ontem falei com um amigo, que me falou de um livro lançado por um professor de coimbra, sobre stress pós traumático, livro no qual defende a ideia de que, os maus tratos, podem ser desencadeadores de stress pós traumático.

com tanta conversa, acabei por não lhe perguntar o nome do autor do livro.

hei-de ver se descubro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Suécia venderá acessórios eróticos nas farmácias   Seg Mar 10, 2008 6:02 am

Suécia venderá acessórios eróticos nas farmácias








Claudia Varejão Wallin
de Estocolmo





Suecos têm mais parceiros sexuais hoje do que 20 anos atrás

A
partir de maio, a Suécia vai incluir acessórios eróticos nas
prateleiras de todas as farmácias do país. A decisão foi anunciada pela
Apoteket, a empresa estatal que detém o monopólio das farmácias.



"Queremos manter uma perspectiva ampla em termos de saúde", destacou a porta-voz da Apoteket, Elisabet Linge Bergman.

"Sexo é uma parte extremamente importante da vida das pessoas, e é importante ajudá-las nesta área", acrescentou.


A
venda de vibradores e outros acessórios ( como barro das caldas ) nas farmácias foi decidida após
estudo realizado pela Apoteket em conjunto com a Agência Sueca para
Educacão Sexual (RFSU). Na pesquisa, um grande número de entrevistados
indicou o desejo de poder ter acesso a brinquedos eróticos.

A demanda
existe, constatou a porta-voz. E a credibilidade da Apoteket junto à
populacão, segundo ela, faz das farmácias estatais o local ideal para a
venda de produtos eróticos.

"As pessoas
preferem ter a possibilidade de comprar estes produtos nas farmácias
estatais, em vez de ter que comprar via internet ou em lojas de
material pornográfico. A Apoteket é vista como uma instituição
respeitada, capaz de garantir a qualidade dos produtos", observou
Bergman.

A pedido da Apoteket, a Agência Sueca para Educacão Sexual produziu uma série de brinquedos eróticos para a venda nas farmácias.

'Para tímidos'

Numa primeira etapa experimental, os produtos serão colocados à venda em 50 das 900 farmácias da rede.

A venda será concentrada inicialmente nas maiores farmácias do monopólio sueco, consideradas ambientes mais "seguros e anônimos"
para consumidores tímidos.


"Vamos vender brinquedos eróticos e óleos lubrificantes. Ainda vamos decidir que série específica de produtos iremos ter nos
estoques".


A Suécia é considerada um dos países mais liberais em termos de sexo, assim como os vizinhos nórdicos.

Para a maior parte das famílias suecas, é natural que rapazes e moças a partir de 15 anos de idade durmam com seus namorados
em casa, em seus quartos - desde que sejam relacionamentos considerados estáveis.


Recentemente, um relatório divulgado pelo Departamento de Saúde e Bem-Estar mostrou que os suecos têm mais parceiros sexuais
hoje do que tinham 20 anos atrás.


Especialmente entre as jovens: o estudo indicou que em 2007 um total de 26% das mulheres entre 18 e 19 anos de idade haviam
tido três ou mais parceiros sexuais no ano anterior. Em 1989, esta porcentagem era de 13%.






================
Sorry

barro das caldas é um fair diver Manganal
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Seg Mar 10, 2008 6:26 am

Vitor mango escreveu:
Suécia venderá acessórios eróticos nas farmácias








Claudia Varejão Wallin
de Estocolmo





Suecos têm mais parceiros sexuais hoje do que 20 anos atrás

A
partir de maio, a Suécia vai incluir acessórios eróticos nas
prateleiras de todas as farmácias do país. A decisão foi anunciada pela
Apoteket, a empresa estatal que detém o monopólio das farmácias.



"Queremos manter uma perspectiva ampla em termos de saúde", destacou a porta-voz da Apoteket, Elisabet Linge Bergman.

"Sexo é uma parte extremamente importante da vida das pessoas, e é importante ajudá-las nesta área", acrescentou.


A
venda de vibradores e outros acessórios ( como barro das caldas ) nas farmácias foi decidida após
estudo realizado pela Apoteket em conjunto com a Agência Sueca para
Educacão Sexual (RFSU). Na pesquisa, um grande número de entrevistados
indicou o desejo de poder ter acesso a brinquedos eróticos.

A demanda
existe, constatou a porta-voz. E a credibilidade da Apoteket junto à
populacão, segundo ela, faz das farmácias estatais o local ideal para a
venda de produtos eróticos.

"As pessoas
preferem ter a possibilidade de comprar estes produtos nas farmácias
estatais, em vez de ter que comprar via internet ou em lojas de
material pornográfico. A Apoteket é vista como uma instituição
respeitada, capaz de garantir a qualidade dos produtos", observou
Bergman.

A pedido da Apoteket, a Agência Sueca para Educacão Sexual produziu uma série de brinquedos eróticos para a venda nas farmácias.

'Para tímidos'

Numa primeira etapa experimental, os produtos serão colocados à venda em 50 das 900 farmácias da rede.

A venda será concentrada inicialmente nas maiores farmácias do monopólio sueco, consideradas ambientes mais "seguros e anônimos"
para consumidores tímidos.


"Vamos vender brinquedos eróticos e óleos lubrificantes. Ainda vamos decidir que série específica de produtos iremos ter nos
estoques".


A Suécia é considerada um dos países mais liberais em termos de sexo, assim como os vizinhos nórdicos.

Para a maior parte das famílias suecas, é natural que rapazes e moças a partir de 15 anos de idade durmam com seus namorados
em casa, em seus quartos - desde que sejam relacionamentos considerados estáveis.


Recentemente, um relatório divulgado pelo Departamento de Saúde e Bem-Estar mostrou que os suecos têm mais parceiros sexuais
hoje do que tinham 20 anos atrás.


Especialmente entre as jovens: o estudo indicou que em 2007 um total de 26% das mulheres entre 18 e 19 anos de idade haviam
tido três ou mais parceiros sexuais no ano anterior. Em 1989, esta porcentagem era de 13%.






================
Sorry

barro das caldas é um fair diver Manganal


Devo estar a ficar muito velho. No meu tempo o pessoal amanhava-se e amanha-se sem esses extras. Ou havia força na verga ou nada feito. Devem ser novidades lá de Orlando....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: SEXO   Seg Mar 10, 2008 6:37 am

AQUI usa-mos A VERGA!!! Aqui nao precisamos de INSTRUMENTOS para usar em nenhuma LOIRA GOSTOSA!!!! Essas INVENCOES, la das SUECIAS ESQUERDISTAS DA TRETA, devem ter vindo de alguma ideia XUXA do ZE RECUA!!! Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Seg Mar 10, 2008 7:31 am

RONALDO ALMEIDA escreveu:
AQUI usa-mos A VERGA!!! Aqui nao precisamos de INSTRUMENTOS para usar em nenhuma LOIRA GOSTOSA!!!! Essas INVENCOES, la das SUECIAS ESQUERDISTAS DA TRETA, devem ter vindo de alguma ideia XUXA do ZE RECUA!!! Wink

As vergas são feitas de ramos de Salgueiros
Choupos e salgueiros pertencem ambas á mesma familia
Das salicacias = porque teem acido salicilico

Cruzar primos ( ou primas ) era quase impossivel em Floresta ...mas os xineses fizeram-no
E o mango tinha varios exemplares

Quando a verga de dobra aí aconselho SHItake ( o micelio que fui comprar a Espanha e estou a ensaiar inoculando )

E antes que me atirem piada informo V. Exas que a minha ucraniana esta gravida
e
O marido Ucraniana foi ontem apanhado com 2 gramas de alcool pela policia e tem que ir a tribunal responder e eu tenho que dizer que ele é ...bla bla bla

Sucede ainda que ele vai parar 2 meses a Angola porque o pçaytrão ganhou la um projecto

E eu matei-me a rir

Ou seja

Angola viu quew o unico pais que lhes vale é Portugal
Russos ou Ucranianos só com chancela Lusitana

Não é a primeira Ucraniana que engravida aqui no palacio ( nunca tive nada a ver )

mas. desta vez parece que o puto ( ja se sabe que é menino ) vai nascer Tuga

Isso é o que eu gosto nos imigrantes
Trazer sangue novo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Seg Mar 10, 2008 7:38 am

RONALDO ALMEIDA escreveu:
AQUI usa-mos A VERGA!!! Aqui nao precisamos de INSTRUMENTOS para usar em nenhuma LOIRA GOSTOSA!!!! Essas INVENCOES, la das SUECIAS ESQUERDISTAS DA TRETA, devem ter vindo de alguma ideia XUXA do ZE RECUA!!! Wink

O senhor Ron, penso, vive obsecado com o PM Sócrates. Não fala noutra coisa. Até o confunde com o governo da Suécia. Como é pouco dado a leitura e cultivo da tola, desconhece que o geverno actual da Suécia é democrata-cristão e centrista. Aqueles mesmo que o senhor Ron tanto defende em Portugal. Será que existe algum magnetismo que o atrai??? Naturalmente terá de se contentar com Paulo Portas. É o quetem mais á mão....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ronhas



Mensagens : 520
Data de inscrição : 15/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Seg Mar 10, 2008 7:47 am

Vitor mango escreveu:
Quando a verga de dobra aí aconselho SHItake

Mas refiro-me aquela verga que não dobra. Antes quebrar que torcer. Já há pouco mas ainda se encontram alguns casos raros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: SEXO   Seg Mar 10, 2008 9:28 am

NADA DE VIAGRA!!! Aqui VERGA PURA!!!!

qUANTO AQUELA chafurdisse de hipocresia da suecia, BASTA VER-MOS QUE OS annenberg, CONTROLAM metade DA bolsa sueca!!! A SUECIA tem os mais ALTOS IMPOSTOS PARA O POVO!! O POVO suicida-se e so tem dinheiro para beber aos fins de SEMANA, porque uma cerveja custa 20 euros!!!! a unica coisa boa DA suecia, SAO AQUELAS suecas!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
ECOADOR

avatar

Mensagens : 205
Data de inscrição : 26/10/2007

MensagemAssunto: Portugal lança mictório erótico; assista bbc   Qua Mar 19, 2008 12:14 pm

Portugal lança mictório erótico; assista










Mictório virou atração no shopping de São João de Madeira

Um shopping center em Portugal está atraindo a atenção da clientela pela ousada decoração do banheiro masculino.


A gerência do Eighth Avenue, na cidade de São João da Madeira, no norte do país, colocou manequins em poses sugestivas vestidas
apenas com roupas íntimas em uma vitrine instalada bem na frente dos urinóis.


Apesar de a cidade ter fama de conservadora, a idéia foi encarada com bom-humor, segundo o diretor do shopping center.



Clique aqui para ver a reportagem



"As pessoas acham uma piada. Todos querem ver. Muitas vezes são os maridos que bloqueiam as portas para que as esposas possam
ver", afirmou José Duarte.


A reação inicial, para muitos usuários, é de choque, mas depois acabam achando engraçado.

No banheiro das mulheres foram colocados manequins masculinos com roupas esportivas. Algumas usuárias disseram terem gostado.

"Achei interessante, diferente e sugestivo", disse a cliente Maria da Luz, que descreveu a experiência de encontrar a nova
decoração como "agradável".


Mas nem todas concordam. "Isto mostra que ainda estamos ligados ao passado e isto é um pouco sexista", disse Salomé, uma cliente
do shopping center que não deu o sobrenome.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Qua Mar 19, 2008 12:20 pm

Sucede que esta ideia já tem barbas pelo mundo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Rede vendeu Viagra falso pela net a 50 mil europeus   Ter Mar 25, 2008 12:33 pm

Rede vendeu Viagra falso pela net a 50 mil europeus
Por Ioli Campos
Os três cabecilhas de um grupo que vendeu Viagra falso a mais de 50 mil europeus poderão estar em Palma de Maiorca, segundo a edição desta terça-feira do jornal espanhol El País


Mediante pagamento antecipado, os interessados acreditavam ter assim a oportunidade de adquirir o medicamento sem terem de ir ao médico.

Porém, na maior parte dos países europeus, este tipo de comprimidos carece de receita médica, que geralmente só é passada depois de se aferir a compatibilidade com o estado de saúde dos interessados.

Mas, para além de aparentemente vender Viagra sem receita médica, este grupo ainda fazia pior. Fabricava etiquetas falsas e em vez de enviar Viagra ou Xenical, enviava outros medicamentos dentro das caixas.

O centro de operações era na Alemanha, onde começou a investigação policial em 2005. Mas, de acordo com o jornal espanhol, existia uma extensa rede de empresas distribuidoras e colaboradores que acabaram por vender estes medicamentos falsos a cerca de 50 mil europeus, gerando lucros superiores a 12 milhões de euros.

As autoridades alemãs já prenderam e condenaram dois membros da rede, cidadãos alemães, e agora estão a seguir o rasto dos três cérebros: dois norte-americanos e um inglês. Acreditam que podem estar em Palma de Maiorca, segundo El Pais, tendo já emitido um mandato de captura.

ioli.campos@sol.pt
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Presidente da Junta
Admin
avatar

Mensagens : 944
Data de inscrição : 17/10/2007

MensagemAssunto: Há mulheres frígidas ou homens incompetentes ?   Dom Mar 30, 2008 9:55 am

Marta Crawford

"O sexo não é só uma relação entre o pénis e a vagina"

Homens e mulheres, prestem atenção: o desafio do próximo milénio é fazer-vos entender o papel da estimulação da zona do clítoris durante o coito. Isto pode parecer estranho a alguns (e a algumas, que sempre se julgaram menos do que as outras), mas, na maior parte dos casos, a penetração não basta para fazer uma mulher ver estrelas.

Palavra de Marta Crawford, sexóloga sem medo de palavras como clítoris, vagina, pénis, fellatio, cunnilingus. Pronuncia-as com à-vontade porque nada do que é humano, desde que praticado entre adultos e consentido, lhe é estranho. Está tudo, com suficiente detalhe e desenhos educativos, em “Viver o Sexo com Prazer, um guia da sexualidade feminina” e resumido nesta entrevista.

Para ler e aprender... Rolling Eyes Rolling Eyes Rolling Eyes


Depois de ‘Sexo Sem Tabus’, escreve ‘Viver o Sexo com Prazer, um guia da sexualidade feminina’. Porquê?

Era o plano da editora: um livro mais genérico, dirigido aos dois sexos, um dirigido às mulheres, outro aos homens e um aos jovens.

Porquê primeiro o da sexualidade feminina?

Porque a masculina é um tema mais batido, sempre se viu a sexualidade sob o prisma masculino, as mulheres estavam lá mas tinham o papel secundário do filme. Era suposto acompanharem o homem no prazer que ele deveria ter. Embora isto seja de um tempo muito antigo, o facto é que muitos casais ainda funcionam assim.

Sem prazer feminino?

Os casais têm relações, com regularidade ou não, e muitas mulheres não têm prazer nas relações sexuais, mas acabam por participar para manter o equilíbrio do casal. O que digo é que é possível ter-se prazer na sexualidade, mas se calhar é preciso trabalhar algumas coisas para não ser um frete.

A sexualidade masculina é mais simples?

Não, o prazer feminino é talvez mais contextual, implica uma série premissas, ao nível da relação com o corpo, questões da vida, da casa, dos afectos, o que não significa que as mulheres só funcionem sexualmente quando estão muito apaixonadas, mas têm de se sentir bem na situação, são menos imediatas. No caso masculino, a estimulação é muito mais rápida. Não são necessários tantos estímulos para que um homem atinja uma certa excitação ou queira iniciar uma relação sexual e chegue até ao fim. Já a mulher reage na maior parte das vezes a uma estimulação directa da zona genital, mas são necessárias outras condições.

Porque razão oferecer um vibrador a uma mulher pode considerar-se uma ofensa?

Os brinquedos sexuais parecem uma coisa para as mulheres pervertidas, que não têm parceiros ou não ficam satisfeitas com eles. No mercado existem objectos que permitem à mulher obter níveis de prazer mais elevados, nomeadamente quando, nas relações sexuais com os seus parceiros, não há uma estimulação clitoriana.

O coito não basta?

Estou numa espécie de campanha para tornar claro que o que não é frequente é as mulheres atingirem o orgasmo só através do coito. O orgasmo vaginal é um mito.

Mas as mulheres sentem-se anormais se isso não acontece.

O propósito é o orgasmo vaginal, através do coito. Freud falou nisso: as mulheres que atingiam o orgasmo através da estimulação clitoriana seriam imaturas. Enganou-se. Mesmo porque o fundo da vagina não tem grande sensibilidade, a maior parte desta está na zona anterior, nos primeiros centímetros da entrada e na zona clitoriana. O clítoris tem mais sensores nervosos, mais até do que o pénis, e tem apenas essa função: na maior parte das mulheres, é a zona que lhes dá maior prazer, mesmo que a estimulação não seja lá em cima mas ao lado.

O que pode acontecer quando não há estimulação clitoriana?

Saturação e querer despachar o assunto. É o que acontece quando se entende que aquilo que é uma coisa óbvia – estimular durante o coito – não faz parte. Ou então que a mulher é uma coitada pois não consegue atingir o orgasmo de outra forma. Não é verdade, a mulher não é uma coitada porque precisa de estimulação nessa zona.

Há mulheres que sentem muito prazer com a penetração.

Claro. O que digo é que com a maior parte, 90 por cento, isso não acontece. O sexo não é só uma relação pénis/vagina. Isso é do tempo em que a sexualidade tinha a ver com a procriação.

Elas queixam-se nas consultas?

Há muitas que dizem sentir-se incompletas, pensam que talvez fosse diferente com outra pessoa. Pode ser um problema ao nível do casal, alguns funcionam sexualmente melhor do que outros, mas também tem a ver com comunicação e habilidade do parceiro.

O que dá prazer ao homem pode não ser o que dá maior prazer à mulher. Não há aqui há um desencontro fundamental?

A sexualidade tem sido vista à luz do prazer masculino – por isso se considera que o coito é a forma eleita de dar prazer aos dois. Mas, se continua a insistir-se na mesma fórmula, a mulher nunca sentirá prazer. Porque a obsessão em atingir esse orgasmo é tal que se despreza a estimulação de outros sítios. Então é que mulher perde a competência para chegar lá.

Os preliminares não ajudam?

Muitos casais dizem ‘nós fazemos um período de preliminares e depois passamos ao coito, ao sexo’, ou seja, a mulher já está excitada e esse grau de excitação devia continuar até conseguir atingir o orgasmo. Muitas vezes isso não acontece.

Porquê?

As mulheres passam por muitos altos e baixos na sua capacidade de excitação, lubrificam mais num certo período, depois deixam de lubrificar e é preciso voltar de novo a um tipo de estimulação mais particular, mais fininho ou mais intenso. É um jogo para o qual é preciso ter disponibilidade. Também é_importante que a mulher perceba como é que o corpo vai respondendo à estimulação, seja genuína e diga aquilo que quer. Muitas mulheres não têm muito prazer mas já estão saturadas e só querem é que a relação termine, que o parceiro ejacule.

O clítoris pode ser o tal sininho ao som do qual se diz a missa?

Há mulheres que detestam ser tocadas directamente no clítoris mas o que é certo é que indirectamente sentem prazer. O clítoris é a única parte do corpo da mulher sem outra função além de dar-lhe prazer. Há que conjugar as diversas formas de obter prazer no jogo amoroso. Não há uma eleita. Não sei se o clítoris é o sininho ou o tal botão mágico mas facilita.

O tamanho do pénis do parceiro importa?

Pensar que um pénis grande é garantia de muito prazer feminino é um mito. De facto, se homem não for habilidoso e atencioso às necessidades da parceira, de nada lhe vale um pénis grande. Pode impressionar a mulher e levá-la a fantasiar – também pode ser assustador...– mas terá pouco interesse se o homem não souber usá-lo.

O ponto G existe mesmo?

Supostamente, o ponto G, uma espécie de anel esponjoso de tecido eréctil, fica a três ou quatro centímetros da entrada anterior da vagina, por baixo do osso púbico, junto à zona da uretra. Há mulheres que referem ter muito prazer com a estimulação desta zona.

É assim tão importante?

Sou um bocado céptica em relação a tudo o que é vendido nas revistas cor-de-rosa como o novo santo Graal, primeiro o clítoris, depois os multiorgasmos... no fundo obstáculos que fazem a mulher sentir-se sempre abaixo do exequível. Agora cria-se outro patamar em que a mulher para ter um prazer extraordinário tem de ter um Ponto G e anda tudo à procura dele. O pénis não toca no Ponto G, mas o Ponto G quer ser estimulado ou através da masturbação ou de um vibrador especial. Andar à procura até pode ser engraçado, mas não faz sentido centrarmo-nos no ponto G só porque alguém vendeu o ‘produto’, nem julgar que as mulheres que não o têm são piores do que as outras.

As revistas cor-de-rosa também falam muito de sexo anal.

Antes não se falava de sexo anal, mas sempre se praticou. Quando as mulheres estavam menstruadas ou grávidas optavam pelo sexo anal. Também as que não queriam perder a virgindade o faziam, o que tem o seu lado cómico... mais uma vez, o sexo lícito é o sexo vaginal. Há a ideia de que o ânus tem a ver com sujidade ou com a homossexualidade. Falar abertamente de sexo anal faz com que as pessoas não tenham medo de pensar sobre isso e até se disponham a experimentar de uma forma que não crie prejuízo. Como as pessoas não me vêem exactamente como alguém pervertido, suponho que pensem ‘se ela fala é porque há outra perspectiva’.

O sexo anal não é mais uma fantasia masculina?

Penso que as mulheres que fazem sexo anal gostam, mas é importante que cada casal o faça de uma forma satisfatória para os dois e não só para o homem. Esse é o truque em relação a seja o que for. Há mulheres que não gostam de fazer fellatio, só que os homens gostam muito e elas não estão ali para tirar-lhes o prazer. Mas elas também gostam de cunnilingus. Tem de fazer-se o contraponto. Há casais que fazem tudo, há casais que só gostam de fazer uma coisa e não outra. Tudo bem, é a maneira de funcionar daquele casal, não tem de existir um menu e fazer-se o “check list”.

Ou seja, cada um sabe de si?

É mais: na sexualidade cada coisa vale por si, um beijo, um abraço, não é preciso ir até ao fim. Só que as pessoas estão preocupadas em atingir o orgasmo, que dura mais ou menos dez segundos – é contar até dez e já passou – que não usufruem do resto, das massagens, dos beijos. O orgasmo é bom, mas só pelos dez segundos mais vale comer um gelado. [risos.]

Em ‘Viver o Sexo Com Prazer’, refere-se a uma paciente que sentiu o primeiro orgasmo aos 36 anos através da masturbação.

Era uma mulher que nunca tinha masturbado. Tinha dificuldades na relação sexual com o parceiro, não experimentava prazer mas dor. Tudo era no sentido negativo.

O que aconteceu?

No início, a terapia é muito orientada para a sensualidade, mais genérica. Programam-se sete sessões de 15 em 15 dias. Ela levou algum tempo até que acontecesse. Sentia-se ridícula a masturbar-se. Mas acabou por criar um ambiente especial na sala, estava sozinha, os filhos dormiam. Quando aconteceu ela não sabia o que era aquilo. Não disse ao marido. Ele só soube durante a terapia. Depois ela começou a sentir umas coisinhas. Ela, que não sentia absolutamente nada, começou a sentir uma certa excitação. Nunca tinha usado lubrificantes, começou a usá-los. Para uma mulher que não lubrifica a relação coital é do pior que pode haver, a fricção é dolorosa.

E quanto ao sexo oral? Há homens que pensam que o cunnilingus é só lamber...

Pois... se calhar também há homens incompetentes. Isto não é contra eles. É dizer-lhes ‘abanem-se lá’. Eles passam a vida a dizer que as mulheres não querem ter relações sexuais, mas se calhar é porque eles são incompetentes, não porque elas são frígidas, termo que já nem sequer existe. Temos de elaborar um bocadinho mais. Pensar ‘o que é que se está a passar?’.

E o que é que se está a passar?

Se eles souberem ouvir e ver elas tornam-se mais disponíveis. O que acontece é as mulheres dizerem ‘ele só quer é aquilo’. Se ela sabe que ele só quer aquilo, então ele fica sem nada. São as pequenas atenções que fazem com que uma pessoa tenha mais desejo. Tudo o que já está completamente estipulado e que não surpreende acaba por cansar.

Há homens que parecem não gostar muito de estimular oralmente as mulheres...

E há a atitude francamente machista de sentido oposto que é as mulheres acharem, em relação ao fellatio: ‘é uma coisa que eles gostam e eu faço porque eles gostam; não me importo’, mas em relação ao cunnilingus pensam: ‘mete-me nojo ou acho que ele não vai gostar – dizem que tem um cheiro qualquer a peixe –, o melhor é não fazer.’ Ora, há mulheres que têm grande prazer nisso porque é uma estimulação muito directa, que vai directamente aos sítios, estimula a zona clitoriana, as virilhas... Quando há conjugação da estimulação oral e digital, as mulheres têm muito prazer. Naturalmente, não é uma lambidela de alto a baixo durante um minuto. Deve haver da parte da mulher um incentivo a que o parceiro, ou parceira, continue.

Há uma quase genérica resistência à utilização do preservativo no sexo oral.

É uma ideia corrente e errada a de que não se apanham doenças no sexo oral e é difícil passar a ideia de que tem de se usar o preservativo. Há muitos jovens, e não só, que ainda pensam “como ele (ou ela) é bonito, não tem doenças”. Depois da menopausa, as mulheres também pensam que ficam imunes, associam não engravidar a não apanhar doenças. Mas há uma série de doenças que são transmitidas através do sexo oral, portanto tem de se utilizar o preservativo. Obviamente que, numa relação de confiança e alguma regularidade entre um casal que se entenda como estável, não é preciso usar, embora o sexo oral seja mais frequente em relações ocasionais, como primeira forma de abordagem. É preciso usar o preservativo. Torna tudo mais higiénico e até evita alguns constrangimentos, relacionados com lubrificação excessiva, sabores que se consideram desagradáveis ou a ejaculação na boca da parceira quando ela não gosta. É ridículo não usar preservativo.

Mas é complicado, nomeadamente no caso do cunnilingus.

Sim, pode ser complicado, se pensarmos que podíamos estar a fazer outra coisa qualquer. Mas uma toalhinha de látex, um bocado de papel aderente, uma luva cortada ou o preservativo cortado permite que se faça à vontade pois não há transmissão de doenças e isso torna-nos mais livres. Qual é o mal? Até é divertido.

O que diz às mulheres que fingem ter prazer quando não têm?

São elas que perdem porque o parceiro, normalmente, tem. Da parte feminina, o fingimento faz com que eles repitam exactamente o mesmo procedimento e não aprendam. Há a ideia de que eles ficam chateados se lhes disserem. Outras receiam que se transforme numa obsessão, que se disserem ‘não consigo atingir o orgasmo’ eles ficam ali a insistir e é uma pressão para a mulher aquela ideia de que tem de ter um orgasmo em cada relação.

Há mulheres frígidas ou homens incompetentes?

Há mulheres e homens que são pouco habilidosos. Também não vou dizer que todas as mulheres estão completamente disponíveis para dar prazer aos homens. Mas há uma premissa de que ‘sexo é coito’. ‘Prazer só no coito.’ ‘O coito é suficiente para a mulher atingir o orgasmo.’ Os homens correspondem a estes parâmetros porque é mais fácil, eventualmente gostam mais que haja uma relação coital e também não dá muito trabalho. Mas é preciso dar aqui uma grande volta e encontrar novas formas de dar prazer um ao outro. Dizia-se que as mulheres eram frígidas. Talvez fossem mal estimuladas. Uma mulher satisfeita vai decerto procurar ter relações sexuais mais frequentemente.

continua


Última edição por Presidente da Junta em Dom Mar 30, 2008 10:16 am, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Presidente da Junta
Admin
avatar

Mensagens : 944
Data de inscrição : 17/10/2007

MensagemAssunto: Re: SEXO   Dom Mar 30, 2008 9:55 am

Terceira idade significa necessariamente o fim do sexo?

A sexualidade na terceira idade sempre foi vista como uma coisa pouco própria. Ninguém imagina os avós ou os bisavós na cama. Mas não tem de ser pouco própria. E não é. Não é porque se tem mais quilos ou celulite que o sexo não pode acontecer. O sexo não tem prazo de validade desde que o casal tenha vontade e disponibilidade para continuar a explorar o próprio corpo. Há alterações físicas e fisiológicas que, de alguma forma, podem comprometer a sexualidade tradicional, a tal coital, e então ‘se não há penetração, acabou-se a minha vida sexual.’ Porquê? Não há outras maneiras de obter prazer? Há. Mas, se na minha cabeça a única forma de sexo é aquela, tudo o resto fica aquém e é desnecessário. Voltamos à história dos dez segundos de orgasmo.

O que é então o sexo?

É muito mais do que uma relação pénis/vagina. É comunicação, conseguir uma liberdade na relação de forma a dar e receber, é ter espaço para a ternura, para a sensualidade. Repare que a definição da OMS (Organização Mundial de Saúde) nem sequer refere a relação coital, o que é interessante. Mas esta troca entre as pessoas é essencial para o bem estar dos seres humanos.

Diz-se que somos cada vez mais sociedades sem Deus. Não temos ainda vergonha do olhar Dele?

É uma vergonha que nos chega através da educação. Mesmo se não há tantos católicos praticantes, mesmo que não pratiquemos, sentimo-nos todos católicos ou, pelo menos na nossa infância e juventude, herdámos essa forma de pensar católica. Eu tive uma instrução católica bastante intensa e penso que caridade, dar e receber são princípios básicos do catolicismo. Não se pode repudiar a homossexualidade, por exemplo. Não se pode dizer que é uma coisa do demo. As pessoas não escolhem ser homossexuais. Ninguém tem nada a ver com isso, desde que sejam dois adultos e os dois queiram.

Como é que, com essa educação católica intensa, acaba por escolher o caminho da Sexologia?

O meu percurso foi muito normal. Fiz o curso não perspectiva de ser psicóloga, trabalhei primeiro como actriz. Só nos últimos anos me apaixonei pelo curso de Psicologia. Porque a parte prática era mais ou menos como estar num palco. No último ano tínhamos de fazer o estágio académico e surgiu a hipótese de fazê-lo, no Hospital Júlio de Matos, na área da Sexologia. Fui influenciada por um colega que agora também é sexólogo. Fui e já não saí. Primeiro comecei a assistir, depois a ter os meus próprios casos. A minha tese final foi sobre trasnsexualidade, uma realidade muito difícil.

Desde que fez o programa ‘AB..Sexo’ na TV, costuma ser abordada na rua?

O tipo de abordagem é para confirmar se sou a Marta Crawford – quando não e maquilho sou uma rapariga discreta e ando sempre de óculos escuros – ou esclarecer alguma dúvida. Bocas foleiras nunca ouvi. Uma vez, um senhor seguiu-me até ao interior de uma loja para expor o seu problema. Tentei fazer-lhe ver que aquele não era o sítio indicado, mas ele continuou, ainda por cima em voz muito alta, porque era surdo.

Pensa voltar a falar de sexo na televisão?

Sim, vou voltar, não sei quando, em moldes um bocadinho diferentes do programa AB...Sexo. Tenho três programas na calha, ainda não sei em que canal.



Correio da Manhã


Última edição por Presidente da Junta em Dom Mar 30, 2008 10:01 am, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: SEXO   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
SEXO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 4 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Ciência-
Ir para: