InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 EUA - Eleição Presidencial em 2008

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Nov 20, 2007 3:57 am

jps escreveu:
Havia uma santa na minha terra, que de vêz em quando fazia milagres daqueles que nem á Fatima lembraria.

Lembro-me principalmente de um que lhe era muito habitual, o qual ela repetia vêzes sem conta ao ponto de a certa altura começar a acreditar ela propria no milagre que praticava.

Constava esse milagre na multiplicação das "baboseiras" (especie vegetal que apesar de não ter qualquer utilidade serve para alimentar quem pratica esse milagre) e assim, lá ia ano após ano, fazendo o pequeno milagre da repetição como forma de se sentir viva, num mundo que lhe tinha passado por entre as mãos e do qual só restava o pequeno milagre de ser igual a si mesma.

Chamava-se essa Santa de .....Santa Ignorância.....

lol!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Nov 20, 2007 10:43 am

Em lisboa xo tem intelectualis que na produzem nada!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Nov 20, 2007 12:31 pm

Voltar ao Topo Ir em baixo
ypsi



Mensagens : 889
Data de inscrição : 15/09/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Sab Dez 01, 2007 4:36 am

Cinco mil perguntas deixadas no YouTube
Bate-boca entre pré-candidatos à presidência dos EUA

A CNN e o YouTube lançaram a ideia e os internautas enviaram em catadupa quase cinco mil questões para o debate entre os políticos republicanos. A noite culminou com uma acesa discussão e trocas de acusações.


As perguntas enviadas pelos utilizadores do YouTube aos oito aspirantes republicanos à presidência dos Estados Unidos proporcionaram um verdadeiro bate-boca entre os políticos, transmitido em directo pela CNN. A imigração foi o tema quente da noite.

A CNN e o YouTube lançaram a ideia: serem os internautas a fazer as perguntas aos oito pré-candidatos. Os utilizadores do site de partilha de vídeos responderam em catadupa, deixando quase cinco mil vídeos com as suas dúvidas. Saúde, educação, política externa, aborto, homossexualidade, guerra do Iraque e o perfil dos candidatos foram os temas mais comuns.

Entre mensagens sérias, outras cantadas e até feitas em grupo, houve também quem optasse por se mascarar de urso para deixar a sua questão: "O meu nome é urso polar. Não há dúvida de que os ursos polares estão a perder o seu habitat. O que os faz pensar que os humanos não serão os próximos?".

Imigração acaba em bate-boca

Dos milhares de vídeos deixados no YouTube foram escolhidas apenas 33 perguntas. "Vai transformar a América num país santuário?", "Com a reforma da imigração a falhar, irei eu ter trabalho?", "Qual a sua opinião sobre o controlo de armas?" e "Como tenciona reparar a imagem da América?", foram algumas das questões seleccionadas.

No entanto, o tema que mais troca de galhardetes gerou foi a imigração ilegal. O ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney, criticou Rudolph Giuliani por não ser suficientemente duro nesta questão, uma vez que os imigrantes clandestinos se concentravam em Nova Iorque enquanto este era prefeito da cidade. Giuliani respondeu, acusando Romney de ter empregados imigrantes ilegais para tratar dos jardins da sua mansão.

Para defender o seu apoio a um fracassado projecto de reforma migratória, o senador do Arizona, John McCain, também quis deixar a sua visão: "Eles também são filhos de Deus. Precisam do nosso amor e compaixão". Quanto à possibilidade de uma amnistia aos cerca de 12 milhões de estrangeiros ilegais, todos os pré-candidatos estiveram de acordo: não deve ser feita.

Os pré-candidatos democratas já tinham participado num debate com o mesmo formato, que também culminou em semelhantes trocas de acusações.

Expresso
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Sab Dez 01, 2007 11:00 am

ricardonunes escreveu:


Essa tabela e antiga. Nao e actual. HILLARY esta a baixar em todas as sondagens e PELA PRIMEIRA VEZ, e na ultima sondagens de 5 dias atras e que esta em todas as noticias, HILLARY PERDE, para os candidatos REPUBLICANOS, se a ELEICAO FOSSE HOJE!!!! PERDERIA CONTRA MCCAIN e contra GIULIANI!!!

http://www.zogby.com/news/ReadNews.dbm?ID=1393
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Sab Dez 01, 2007 12:40 pm

sera este um bom candidato ?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Sab Dez 01, 2007 12:59 pm

So MOI vai votar para as PRESIDENCIAIS!!! Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Sexy Obama girl   Sab Fev 02, 2008 1:35 pm

Sexy Obama girl
Obama derreteu-se em sorrisos para Hillary, no debate televisivo, desta semana. Mas há uma apoiante sua que não deve ter achado piada - a rapariga a quem chamam Obama girl.
13:43 | Sexta-feira, 1 de Fev de 2008

Aumentar Texto Diminuir Texto Enviar por email Link para esta página Imprimir
Link permanente: x
Americano Expresso - Sexy Obama girl Obama girl é um fenómeno de popularidade
Obama girl é um fenómeno de popularidade

Hillary Clinton e Barack Obama já estão sozinhos no palco das primárias democratas. Depois do abandono de John Edwards, a única dúvida é saber qual deles terá de escolher o candidato a vice-presidente. De resto, foi essa a questão final do debate que a CNN difundiu a partir do Kodak Theatre, em Los Angeles, esta semana. "Ainda é muito cedo para tratar desse assunto", esclareceu Barack, acrescentando que qualquer candidato gostaria de ter Hillary na sua lista.

Os apoiantes desse cenário vêm em Hillary a mulher que completaria o que o jornalista Wolf Blitzer, da CNN, chamou já de "dream ticket". Mas entre os apoiantes de Barack há ainda muita oposição a esta dupla, sobretudo depois dos duros ataques que o casal Clinton tem feito às opções políticas de Barack.

A verdade é que o debate revelou que Hillary e Barack estão hoje muito mais próximos do que há algumas semanas atrás. Nem as matérias fracturantes como a imigração ou o Plano de Saúde parecem afastar estes dois candidatos, cuja atenção já está colocada nos adversários republicanos (estes muito mais divididos e inseguros em relação à escolha do seu eleitorado).

Muito mais popular entre os apoiantes de Barack é a já muito conhecida Obama girl. O video-clip desta sensual eleitora é um dos sucessos de audiência do YouTube (já ultrapassou os cinco milhões de visitas). O que começou como uma brincadeira, tornou-se num caso sério de popularidade. E a rapariga, Amber Lee de seu nome, não tem mãos a medir para responder a todos os pedidos de entrevistas e declarações.

O vídeo já tem novas versões e vai-se adaptando às mais recentes situações. Falta agora saber como responderá a Obama girl ao debate em que Barack se derreteu em simpatias com Hillary.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Sab Fev 02, 2008 1:38 pm



sexy Obama girl
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 10:30 am



Yes, We Can ...




* - he just might
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 10:38 am

o Obama é criativo e a miúda é um sucesso no Obanismo



I Got a Crush...On Obama"
By Obama Girl
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 10:43 am

Parece que o tipo andou a ler o Corão scratch

Na tasca "vizinha", este parlapié até que está animado Cool
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 11:09 am

COM MCCAIN na PRESIDENCIA, ainda vao ter SAUDADES do BUSH!!! Laughing Laughing Laughing Laughing
Voltar ao Topo Ir em baixo
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 11:36 am

Empatados, Obama e Hillary fazem campanha às vésperas da Superterça

da Folha Online

A dois dias da Superterça - as principais das prévias nos Estados Unidos -, e empatados nas pesquisas, os dois principais pré-candidatos democratas à Presidência dos EUA, Hillary Clinton e Barack Obama, fazem campanha em vários Estados neste domingo.

Na terça-feira (5), mais de 20 Estados - entre eles alguns dos mais importantes do país, como Califórnia, Nova York e Nova Jersey-- realizam eleições primárias. Por causa da grande quantidade de delegados envolvidos, o dia é conhecido como a Superterça.

Hillary, que é ex-primeira dama e senadora por Nova York, começou o dia assistindo a uma missa em St. Louis, e deveria fazer campanha no Missouri e em Minnesota. Seu rival Obama esteve em Minneapolis neste sábado, onde falou para mais de 20 mil pessoas.

Obama planeja passar a noite deste domingo em sua casa em Chicago assistindo à decisão do Super Bowl, o campeonato americano de futebol, após realizar campanha em Delaware.

Os dois democratas tentam, às vésperas da votação, angariar votos na Califórnia - que é considerada "o grande prêmio" da Superterça, onde 370 delegados estão em jogo.

Hillary ressaltou as questões econômicas em debate com eleitores em um bairro trabalhador de Inglewood, na Califórnia. Em Los Angeles, ela abordou a questão da saúde em uma passeata que contou com a presença do astro do basquete Earvin "Magic" Johnson.

Obama esteve neste sábado em Idaho, onde os caucus irão definir apenas 18 delegados. Em seu discurso, ele pediu a uma audiência de 10 mil pessoas que "ignorem" os rumores publicados na internet de que seria muçulmano, e afirmou que sua religião é a cristã.

Para os democratas - que realizam primárias em 22 Estados - 1.681 delegados estão em jogo. Um total de 2.025 delegados são necessários para garantir a indicação em agosto.

Na Califórnia, Obama está à frente de Hillary com 45% contra 41%, com margem de erro de 2,9 pontos percentuais para cima ou para baixo. Em Nova Jersey e no Missouri, a pesquisa mostra Hillary apenas um ponto à frente de Obama, o que é considerado empate técnico.

Nas duas pesquisas, a margem de erro é de 3,4 pontos percentuais para cima ou para baixo

Disputa acirrada

Obama e Hillary aparecem em disputa acirrada na Califórnia, em Nova Jersey e no Missouri, de acordo com a pesquisa divulgada pelo instituto Reuters/C-SPAN/Zogby neste domingo.

"Aparentemente, haverá uma disputa bem apertada entre Obama e Hillary', disse o diretor do instituto de pesquisas, John Zogby. 'Seja como for, eu estou certo de que a diferença entre os dois será muito pequena para que a corrida seja resolvida na terça-feira", acrescentou ele.

Senador por Illinois, Obama - que seria o primeiro presidente negro da história dos EUA - possui vantagem de 20 pontos sobre Hillary na Geórgia, devido ao apoio dos eleitores negros.

Ambos obtiveram duas vitórias nas quatro votações democratas já realizadas. Hillary - que é ex-primeira-dama e senadora por Nova York, e seria a primeira mulher presidente dos EUA - venceu em New Hampshire e em nevada. Já Obama ganhou em Iowa e na Carolina do Sul.

De acordo com as pesquisas, Hillary lidera entre as mulheres, os hispânicos e os eleitores mais velhos. Já Obama conta com o apoio dos negros e dos eleitores mais jovens.

"Eles estão muito próximos entre os demais subgrupos. É uma disputa apertada, em todos os sentidos", acrescentou Zogby.

Devido à proximidade, é improvável que Obama ou Hillary consigam garantir a indicação democrata na terça-feira, e a disputa deve se estender até março, ou até por mais tempo.

Republicanos

Do lado republicano, John McCain aparece na liderança e a regra de WTA [winner-takes-all], que prevê que o candidato vencedor contabiliza todos os delegados daquele Estado, pode permitir que o senador por Arizona garanta a nomeação na terça-feira, derrotando Mitt Romney.

McCain assumiu a liderança sobre Romney depois de vencer na Flórida, que resultou na desistência do ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani, que agora apóia McCain.

"Eu acredito que conseguirei a indicação do partido na terça", disse McCain aos repórteres.

Romney, que é ex-governador de Massachusetts, venceu as eleições primárias do Partido Republicano realizadas neste sábado no Estado do Maine (nordeste dos Estados Unidos).

Embora os resultados do Maine não sejam muito importantes quantitativamente no processo eleitoral nacional, estes representam um impulso simbólico para o candidato. Após a apuração de 40,8% dos votos, Romney obteve 52,5%, seguido por John McCain (21,6%), Ron Paul (18,5%) e Mike Huckabee (5,1%), informou o Partido Republicano.

Um total de 1.009 delegados republicanos estão em jogo nas primárias em 21 Estados. Ao menos 1.191 delegados são necessários para garantir a nomeação republicana.

Com Associated Press



a luta está renhida lol!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 11:49 am

clinton e obama!!! 1 500 000 000 000 DE AUMENTO DE impistos PARA SUPORTAR OS programas socialistas!!!! NUNCA uma ELEICAO foi tao clara, nas suas opcoes!!! LIBERDADE contra SOCIALISMO!!! Uma MULHER e um NEGRO JAMAIS serao Presidentes com uma PLATAFORMA SOCIALISTA!!! eSTAO EM desintonia COM O povo real americano. pOR ISSO jamais SERAO ELEITOS!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 12:07 pm

RONALDO ALMEIDA escreveu:
clinton e obama!!! 1 500 000 000 000 DE AUMENTO DE impistos PARA SUPORTAR OS programas socialistas!!!! NUNCA uma ELEICAO foi tao clara, nas suas opcoes!!! LIBERDADE contra SOCIALISMO!!! Uma MULHER e um NEGRO JAMAIS serao Presidentes com uma PLATAFORMA SOCIALISTA!!! eSTAO EM desintonia COM O povo real americano. pOR ISSO jamais SERAO ELEITOS!!!

Jamais é uma palavra que "Jamais" entra bem Politica meu caro
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Dom Fev 03, 2008 12:16 pm

Nao se iluda CARo mango!!! EU conheco a AMERICA!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Mulher de Schwazenegger promete apoio a Barack Obama   Seg Fev 04, 2008 7:29 am

Mulher de Schwazenegger promete apoio a Barack Obama
A
primeira-dama da Califórnia, Maria Shriver, mulher de Schwarzenegger,
prometeu ontem apoio ao pré-candidato democrata Barack Obama, mesmo
contra a opinião do seu marido [ul]

[
[/url]

A
declaração surgiu dias depois do governador Arnold Schwarzenegger, do
Partido Republicano, ter declarado que apoiaria o pré-candidato
republicano John McCain.
«Na minha opinião, se Barack Obama fosse um Estado, ele seria a Califórnia»,
disse Shriver perante uma multidão reunida num comício do pré-candidato
democrata na Universidade da Califórnia, em Los Angeles.
«Vejam
como tenho razão. Ele é multifacetado, aberto, inteligente,
independente, vai contra as tradições, inovador, inspirador. Um homem
capaz de sonhar. Um líder»

Obama, senador
pelo Estado de Illinois, disputa cabeça a cabeça com a senadora Hillary
Clinton a vaga do Partido Democrata para as eleições presidenciais de
Novembro.
Os dois preparam-se para a decisiva
«superterça», quando a Califórnia e mais 20 Estados realizam prévias
democratas a fim de escolher o presidenciável.
No campo republicano, o maior rival de McCain, que lidera a disputa atualmente, é o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney.
Shriver
participou do comício ao lado da prima Caroline Kennedy, filha do
presidente John F. Kennedy, e da apresentadora de TV Oprah Winfrey.
Caroline Kennedy e o senador Edward Kennedy, irmão do presidente assassinado, também deram apoio a Obama.
Reuters/SOL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 1:17 am

What I want to know

by mcjoan
Sun Feb 03, 2008 at 10:32:49 AM PST

Politics ain’t beanbag, they like to say. The last month of the primary has more than proven that old saw. We've even seen Godwin's Law move out of the Internets and into the campaign. We've seen identity politics used in a way the Democratic party should never use it, on both sides of the race. The invective has flown but good between the Clinton and Obama campaigns, and while we're seeing a welcome respite in the surrogate poo-flinging since the last debate, the frenzy of Super Tuesday and the fact that this primary is going to extend well beyond it lead me to expect we haven't seen the last of it.

But for what? Here’s one political junkie that could use a break, or at least would like to see a little bit more fighting over substance and a lot less warring among proxies over guaranteed attention-getting flashpoints. Next Saturday, I'll walk into my precinct caucus having to make a decision about which candidate I'm going to stand with. At this point, I might as well go with a coin toss, because there are a few things I want to know about these candidates, and so far I’ve not heard the answers I need.

I don't lay the blame for this entirely at the candidates' feet. They're doing what they know best, what all politicians do--gearing a campaign for the traditional media. They're feeding the beast of predictable and prosaic "reporting" and "analysis" in the "he said, she said" vein. Those giants of mediadom--Tim Russert, Brian Williams, Wolf Blitzer put them in the hot seat and ask them . . . what? The same questions about the same votes about the same people about the same minor policy differences over and over and over again.

But the media can't take all the blame. We've ended up with the two most politically talented candidates, undoubtedly, but they are also the most cautious, most constrained, most politic of the group that began this race all those months ago. That's what usually happens in politics. Most politicians are not too comfortable having their necks stuck out. But, the thing is, this election demands far more than politics as usual. We are in the midst of the worst American administration in history. We're in the middle of the worst foreign policy debacle the nation could imagine. We've seen an unprecedented power grab by the executive that has left the Constitution in tatters. We have a Congress that let it happen. We have crippling debt and a failing economy in the midst of a global economic crisis. The realities of 2008 demand far mare than politics as usual.

While both candidates have a great deal to recommend them--and I say that sincerely, they are both brilliant, talented and committed public servants--they have yet to show this voter that they recognize the breadth, depth, and scope of the challenge one of them will face when sitting down behind that big desk in the Oval Office on January 20, 2009. They are both solid progressives, despite whatever their detractors in the comment threads might say. The last debate showed that they are both Democrats and that they both have a progressive vision. But my question is how far that vision extends.

There are very serious questions this country faces, questions that have been hanging out there for a while. Five long years ago, on March 15, 2003, Howard Dean began a list of those question when he galvanized the Democratic base and ignited a movement with a speech at the California State Democratic Convention. The "What I want to know" speech is the one thing I constantly hear fellow Democrats reference when they tell me about gaining or regaining their passion for politics. Because he was the first person to use a huge public forum to ask the questions that were burning in our minds.

What I want to know is what in the world so many Democrats are doing supporting the President’s unilateral intervention in Iraq?

What I want to know is what in the world so many Democrats are doing supporting tax cuts, which have bankrupted this country and given us the largest deficit in the history of the United States?

What I want to know is why the Congress is fighting over the Patient’s Bill of Rights? The Patient’s Bill of Rights is a good bill, but not one more person gets health insurance and it’s not 5 cents cheaper.

What I want to know is why the Democrats in Congress aren’t standing up for us, joining every other industrialized country on the face of the Earth in providing health insurance for every man, woman and child in America.

What I want to know is why so many folks in Congress are voting for the President’s Education Bill-- "The No School Board Left Standing Bill"-- the largest unfunded mandate in the history of our educational system!...

I want my country back! We want our country back!


In the five years since Howard Dean stood in front of that electrified crowd and started asking those questions--finally!--so many of us had, we still don’t have answers to most of them. And now we have more questions, we have harder questions. When Howard Dean stood on that stage five years ago we didn't know about Abu Ghraib. We didn't know about warrantless wiretapping. We didn't know about Addington and Yoo and Gonzales conspiring in Dick Cheney's office to make us a country that tortures. Katrina hadn't happened. Dean's list of questions look almost prosaic compared to the questions that face us now, five years later--questions that the next two or three presidents are going to have to grapple with, questions that our traditional media just won’t be asking.

Since they aren't asking, I will. Here are few things that I want to know from you, Senators Clinton and Obama.

What I want to know is that you will renounce the doctrine of preemptive war.

What I want to know is that you will get our troops out of Iraq before the end of your first term in office, without leaving permanent bases.

What I want to know is that you will find bin Laden, that you will take seriously the threat that al Qaeda still poses and that you will know where and how to fight them.

What I want to know is that you will take care of the men and women who gave their all for us in Iraq and Afghanistan, that you will end the shameful lack of funding, services, and treatment these brave men and women face when they come home, and that you will ensure they get the help that they not only need, but deserve.

What I want to know is that you will unequivocally renounce the use of torture and will agree to abide by the Geneva Conventions and international treaties on the treatment of prisoners of war.

What I want to know is that you will shut Guantanamo and every secret prison down as soon as humanly possible, and that the detainees in them will receive justice.

What I want to know is that you will end the warrantless and illegal surveillance of American citizens by our intelligence agencies.

What I want to know is that you will hold any corporation that aided government in illegally spying on American citizens accountable to the rule of law.

What I want to know is that your cabinet and executive offices will not be stacked with bumbling ideologues and cronies.

What I want to know is that you, your Vice President and every one of your executive officers will be subject to the rule of law, just like everyone else.

What I want to know is that you will respect Congress as a co-equal branch of government.

What I want to know is that you will never attempt to circumvent Congress's laws with signing statement.

What I want to know is that you appoint qualified Supreme Court justices who believe in the rule of law and in the fundamental privacy protections for all Americans under decided law.

What I want to know is that you are going to break the stranglehold of dependence our country has on foreign oil.

What I want to know is that you will make rebuilding New Orleans for all of the people of New Orleans a top domestic priority, and that another debacle like this administration's response to Katrina will never happen on your watch.

What I want to know is that you see and understand just how massively off-track our country has gone, and that you have some idea about how to right it, and the ability to do so.

I want to know that you will be willing to tell the American people what we need to hear, not just what we want to hear.

I want to know that you can be a leader.

I want to know that you will give us our country back.


Seeing the two of you walk on to the debate stage Thursday night was thrilling. You've made history already, and the fact that one of you will very likely go on to lead our nation is a huge symbolic victory for the Democratic party and for the nation, one that I will do everything in my power to see come to pass. But you can't govern on symbolism.

I want to believe in hope, in twelve point plans for an amorphous vision of change. But I need more. Call me demanding. You bet I'm demanding. We all should be. The times and the state of our nation require it.


DAILY KOS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 1:27 am

Na América o que está na moda é fazer pontes


Em 2003, Iris Martinez foi a primeira hispânica eleita como senadora no estado do Ilinóis. Na semana passada, em Chicago, entre importantes eleitos "latinos" que se declaravam apoiantes de Barack Obama, ela apontou uma qualidade do candidato que escapou aos colegas. Estes, com as variações que o tema permite, derretiam-se sobre a "inspiração" que Obama lhes dá. Mas Martinez, de 51 anos, encantou-se por razão mais terra a terra: "Nunca vi ninguém do meu partido tão capaz como Obama em ir ter com os republicanos, discutir, discutir e arrancar um acordo."

Barack Obama, de 46 anos, tornou--se a vedeta destas primárias, ao colar- -se nas sondagens nacionais a Hillary Clinton, que ainda há dois meses era dada como certa na nomeação do Partido Democrata para as eleições presidenciais americanas.

Do lado republicano, a surpresa é John McCain, de 71 anos, um veterano das presidenciais. Nas primárias de 2000, ele foi o adversário de George W. Bush, candidato oficial do partido. Desta vez, também remando contra a vontade do aparelho do partido, que apoia Mitt Romney, McCain era dado como um perdedor.

No entanto, as sondagens do passado fim-de-semana dizem que ele pode ter a nomeação já hoje. Isto, quando ele é um republicano sui generis, longe das posições duras do partido sobre a imigração, os casamentos gay e a política financeira apoiada na diminuição dos impostos. Enfim, McCain é a ruptura com a era Bush, que foi alicerçada na rigidez ideológica e no militantismo das igrejas cristãs evangélicas.

Assim, esta superterça-feira, a que se emprestam todos os superlativos (tsunami, mega, giga), importante na quantidade - 24 estados vão votar -, pode ser ainda mais importante pela mudança que anuncia na política americana. Não sem razão, estas são as primeira presidenciais desde há 80 anos em que nem os cessantes Presidente (Bush) e vice-presidente (Dick Cheney) se recandidatam. Como para marcar a mudança de um ciclo. E o ciclo fundamental que se ultrapassa vem desde o fim da Guerra do Vietname e dos anos Reagan, quando a ideologia esteve nos postos de comando.

Nem sempre os republicanos e os democratas foram inimigos separados por um muro em Washington. No domingo, o New York Times lembrou que o presidente Lyndon Johnson (1963-68) era conhecido por não ter uma ideia na cabeça, ocupada que estava esta a "procurar consensos" - o que não o impediu, bem pelo contrário, de ter sido o autor das leis que mais mudaram a América nas últimas décadas: a dos Direitos Civis, em 1964, e a dos Direitos de Voto, em 1965.

Pela vaga de fundo que pareceu animar estas primárias - o que pode, evidentemente, ser desmentido pelos resultados que se conhecerão na próxima madrugada -, os heróis são Barack Obama e John McCain. Ambos são abrangentes, sofrem da doença de Lyndon Johnson, gostam de procurar consensos.

Nesta campanha, Obama permitiu--se citar Reagan como capaz de ter gerado um movimento nacional (citação que lhe valeu da parte dos Clintons uma advertência por elogiar o inimigo). E John McCain é de tal modo um heterodoxo que, em 2004, o democrata John Kerry chegou a dizer que ele podia bem ser o candidato a vice-presidente no ticket do Partido Democrata (o que valeu, agora, a McCain um sinal de desprezo de Mitt Romney: "A mim os democratas não fariam tal convite.")

Mas mais do que acordos entre aparelhos, Obama e McCain ilustram o que parece ser a vontade dos americanos: que a nação encontre uma unidade. A capacidade de ambos em fazer ponte, para lá dos respectivos partidos, é o que terá originado a vaga de fundo nas sondagens. Maria Shriver (filha de Eunice Kennedy, irmã de John e Bob) explicou, no domingo, num comício em Los Angeles, ao lado de Michelle Obama e Oprah Winfrey, a sua escolha de Obama: "Ele é por uma América da unidade." Maria Shriver é uma especialista da unidade entre diferentes, é uma Kennedy que dorme com o inimigo: mulher de Arnold Schwarzenegger, o governador republicano da Califórnia (que, por sua vez, é apoiante de McCain...)

Outros endorsements (apoios) que Barack Obama recebeu indicam que os políticos no terreno estão também preocupados com essa necessidade de fazer ponte. Os governadores democratas do Arizona, Virgínia e Kansas e os senadores democratas do Missuri e do Nebrasca têm um ponto comum, além deste apoio: são de estados onde Bush ganhou as duas últimas presidenciais. Estados onde Hillary Clinton representa a polarização democrata em relação aos republicanos - ela afasta, não junta. Ora, aqueles eleitos gostariam de ser eleitos outra vez e dar-lhes-ia jeito terem na Casa Branca quem não lhes assustasse os futuros eleitores.

Na sede da campanha de Obama em Chicago, onde Iris Martinez elogiou o espírito aglutinador do candidato, estava Nicholas Gleen, de 24 anos, estudante de Marketing numa das universidades da cidade, a de Colúmbia. De pai negro, da cidade de Detroit, e mãe jamaicana, mas de origem irlandesa, a sua pele escura e as suas origens parecem dizer o essencial da sua identificação com Barack Obama. Mas o que ele faz há semanas, como voluntário na campanha, talvez diga mais.

Telefona, telefona (cerca de cem chamadas por dia), obrigado a duas directrizes: ser educado e nunca dizer nada negativo para com as outras campanhas. O retrato de Obama nesta campanha.


DN
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 5:58 am

«Super Terça-feira»: Urnas já abriram em Nova Iorque

As urnas abriram esta terça-feira em Nova Iorque dando início a uma maratona de eleições primárias em mais de 20 Estados e assim decidir os candidatos democratas e republicanos à presidência dos EUA.
O grande protagonista da chamada «Super Terça-feira» é o lado democrata, onde reina a incerteza sobre quem será o representante do partido no duelo Hillary Clinton-Barack Obama.

Do lado republicano, o grande favorito é o senador pelo Arizona, John McCain, que chega a esta fase fortalecido por vitórias em New Hampshire (nordeste), na Carolina do Sul e Florida, e com um único adversário de peso, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney.

A «Super Terça-feira», que teve início com a abertura das primeiras mesas no Estado de Nova Iorque (nordeste) às 11:00 horas, começará a definir-se quando encerrarem as últimas, às 04:00 de quarta-feira na Califórnia (oeste).

05-02-2008 12:13:29

diário digital
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 6:01 am

Por agora que ganhe a candidatura "Dois Presidentes pelo preço de Um"

- Hillary Clinton !!!!!
('tá claro)


Daqui por 4 anos, será a vez de Obama !

- O Sonho Americano, no seu Melhor !!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Xô Esquerda

avatar

Mensagens : 703
Data de inscrição : 15/12/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 6:40 am

A FASCINAÇÃO POR BARACK OBAMA


Uma parte da nossa direita e de quase toda a nossa esquerda, mostra como o anti-bushismo não é bom para a qualidade do pensar. É que Obama, comparado com Hillary Clinton ou com John McCain, tem pouco lá dentro.

Nem saber, nem experiência, nem consistência. Pode vir a ganhar tudo isto, mas para já não tem.

Mais um produto da fábrica de plástico, jovem, simpático, bom ar, bom falador, muito teatro de convicções, e politicamente correcto na cor, nem muito preto, nem muito branco, mais um teste para a tese de Kissinger de que cada vez mais as condições para se ser eleito presidente nada tem a ver com as condições para se exercer bem o seu cargo.

José Pacheco Pereira

Abrupto
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fúria

avatar

Mensagens : 222
Data de inscrição : 29/11/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 7:36 am

Primárias da "Super Terça-Feira" poderão ser decisivas


Os aspirantes à candidatura às presidenciais norte-americanas pelo Partido Democrático e pelo Partido Republicano têm hoje um teste decisivo para o êxito das suas pretensões, com as primárias da "Super Terça-Feira", disputadas em mais de 20 Estados.


Nenhum observador se atreve ainda a falar em vencedores neste confronto de hoje, marcado pela incerteza e pela popularidade totalmente imprevista dos candidatos Barack Obama (Democrata) e John McCain (Republicano).

Ao contrário do que era inicialmente previsto e do que é tradicional, é possível que os resultados de hoje não sirvam para decidir ainda quem serão os candidatos às presidenciais de Novembro.

Membros do Partido Democrático vão votar em 22 Estados e os Republicanos em 21, na maior “Super Terça-Feira” da história norte-americana, estando em jogo em ambos os partidos mais de 40 por cento de todos os delegados presentes às convenções que aprovam a escolha para o candidato às presidenciais.

Em teoria, a votação de hoje deveria decidir a escolha dos dois partidos, mas é agora opinião dos analistas que, particularmente no que se refere ao Partido Democrático, a batalha eleitoral deverá continuar por mais algumas semanas.

Num sinal claro de que a corrida pela nomeação Democrática vai continuar depois de hoje, o Senador Barack Obama iniciou já uma campanha e anúncios televisivos em dois Estados (Virgínia e Maryland) e no Distrito da Colombia (a capital do pais, Washington), que só votam no dia 12 de Fevereiro.

Analistas esperam que Hillary Clinton vença nos Estados com mais delegados em causa, nomeadamente Califórnia, Nova Iorque e Nova Jersey.

Mas, devido ao facto de no Partido Democrático os delegados serem atribuídos de forma proporcional, Obama espera poder obter delegados suficientes nesses Estados, particularmente nas zonas de eleitorado negro, e vencer em outros Estados importantes, como Kansas, Minesota, Colorado, Alasca, Illinois, Dakota do Norte, Idaho, Illinois e Geórgia, prolongando a “corrida” na esperança do desgaste da imagem e apoio de Clinton.

No Partido Republicano, a vitória de John McCain na Florida coloca-o agora na excelente posição de, apesar dos seus magros recursos financeiros, sair da “Super Terça-Feira” como o candidato Republicano às presidenciais.

Mas o seu principal rival, o milionário Mitt Romney, antigo governador do Massachussets, conta, não só com grandes recursos financeiros, como com o apoio das estruturas do partido.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Vitor mango

avatar

Mensagens : 4711
Data de inscrição : 13/09/2007

MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   Ter Fev 05, 2008 8:24 am

RONALDO ALMEIDA escreveu:
Nao se iluda CARo mango!!! EU conheco a AMERICA!!!!

meu caro amigo RON -
O amigo tem uma virtude - Quando tudo o que era Bush cavou e assobia para o lado o amigo continua agarrado aquele que é o pior desastre americano
Bem haja

mas ambos temos uma virtude
O mango aguentou o Vaga quando isto parecia um deserto
e o amigo ... ja faz ironia e sabe distinguir pessoas com ideias

e
Portanto


Eu iria mais longe
Ja nao voto em Hillary mas em Obama
Porque ?
Kennedy Soares Marcelo e...bla bla bla teem razão numa coisa
É o único que nao esta agarrado ás gorduras dos lobbys do cacau
Não esta comprometido com o passado
e como diz o Pacheco
nem é branco nem negro mas mulato ou encardido ( logo uma raça politicamente decente )
na giria é um Híbrido

mas
descanse manos

O Tinto será sempre a minha côr
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: EUA - Eleição Presidencial em 2008   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
EUA - Eleição Presidencial em 2008
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 3 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
 Tópicos similares
-
» (ACAFE-2008) - jogos pan-americanos
» Combinatória - (eleição escolar)
» Eleições! Só para lembrar PT...
» A Re-eleição de OBAMA já estava certa para acontecer?
» Questão do CFSd 2008

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Europa e o Mundo-
Ir para: